Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Variedades

Morador de Itapecerica da Serra faz sucesso nas ondas da rádio Nativa FM

Por Ane Greice Passos | 2/02/2014

DSC06062_1_

Ane Greice PassosRelembrando do começo da carreira, Renato nunca pensou que seria famoso

Locutor da Nativa FM, Renato Rainha já passou por muitas dúvidas e dificuldades até começar a trabalhar no rádio. Hoje aos 32 anos, casado, com sua namorada de adolescência, com dois filhos, uma menina de 10 e um menino de 6 anos, Renato tem orgulho do que construiu e mostra uma conscientização política e desejo por mudanças.

Na sala de sua casa em Itapecerica, Rainha falou para o Jornal na Net sobre o começo da profissão, sua infância e adolescência no Jardim São Marcos, família, amigos e a esperança de melhorias políticas na sua cidade.

Renato começou a trabalhar cedo, foi cartazista, trabalhou como locutor em lojas no centro da cidade e demorou um pouco para descobrir qual profissão seguir.

“Joguei futebol por um tempo, fiquei alguns meses treinando na escola do Corinthians, mas quando fiz 17 anos vi que não era aquilo que queria”, disse Rainha que já pensou até em ser padre.

“Era muito frequente na igreja, dei catequese e crisma e sempre participava das missas, até pensei sobre o assunto de ser padre”.

Hoje casado e com dois filhos, o locutor é muito ligado a sua família. Há 14 anos com sua esposa, Rainha teve dois filhos e tem muito orgulho do que conseguiu até hoje, fruto de muito trabalho e dedicação.

“Comecei a trabalhar na Nativa FM em 2002 como freelance, mas foi só em 2006 que me efetivei. Tive muita ajuda do Marcelo Siqueira, ele é como se fosse meu pai”, afirmou.

Relembrando do começo da carreira, Renato nunca pensou que seria famoso. “Quando eu era criança ganhei um gravador do meu pai, ficava brincando, mas nunca imaginei que seguiria carreira, achava mais fácil virar jogador de futebol”, falou entre risos.

Hoje com uma carreira sólida e de sucesso na rádio Nativa FM, Renato tem orgulho da profissão e do que ela proporcionou.

 Vida fora das rádios

Além da vida nas rádios o locutor está sempre ligado no que acontece em Itapecerica da Serra, cidade que nasceu e que continuou morando mesmo após a fama. Como profissional de comunicação, Renato está sempre acompanhando o cenário político da cidade e vê a necessidade de mudanças.

“Uma coisa é fazer política a outra é politicagem, em Itapecerica tem muita politicagem. E é preciso dar condições para a comunidade que necessita”, disse o radialista. Renato afirma também que a maioria dos políticos não estão preocupados com a população, mas admira o trabalho de alguns vereadores da câmara. 

“Ramon Corsini e Gerson Lazarin fazem política do jeito certo, são responsáveis com seu trabalho e sérios”, elogiou. 

O vereador Gerson Lazarin é filiado ao partido Solidariedade, mesma sigla que Renato faz parte, após convite do presidente. “O Tarzan e o próprio Paulinho da força, me convidaram para participar do Solidariedade. Eu gostei do partido, eles me dão autonomia e voz para expor minhas ideias”, e completou. “Quando estou com o Tarzan e o Gerson, parecemos crianças sonhadoras que querem mudar o mundo”. 

Rainha não descarta a possibilidade de uma carreira política, mas diz que o foco seria ajudar realmente a melhorar a vida das pessoas. “Acho que todo mundo que tem vida pública precisa fazer política. Eu sou a favor de uma mudança radical, deixar a política barata a troco de salário e fazer algo sério que ajude minha Itapecerica”, falou. 

O Itapecericano esteve nas cidades afetadas pela chuva e enchentes. Em Embu das Artes, Renato ajudou moradores que passaram por momentos de destruição e ficou admirado pelo trabalho realizado por Ney Santos, vereador mais votado do município. 

“Estou fazendo escola em Embu das Artes, o que o Ney Santos faz pela cidade é algo fenomenal, tenho grande admiração por seu trabalho. Depois de ter visto a tragédia de perto e ver o trabalho dele, percebi que fazer política tem solução”, afirmou.
.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.