Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Meio Ambiente

Dono de circo nega que leoa achada morta em Taboão era sua

Por Sandra Pereira | 9/01/2014

circo600

Sandra PereiraOrigem da leoa achada morta em Taboão da Serra é desconhecida

Ainda é de origem e posse desconhecida  a leoa cuja carcaça foi localizada por moradores na rua José Miele, no Jardim Record, em Taboão da Serra, no último dia 7.  Ao contrário do que vinha sendo especulado o animal não pertence ao Circo Premier instalado num terreno ao lado da avenida Cid Nelson Jordano.  O proprietário do Circo, Claudinei Siqueira, negou os boatos de que a leoa seria propriedade do circo. Ele disse que há quase uma década os circos brasileiros estão proibidos de ter animais por força de uma legislação federal. 

 Já se sabe também que o felino não pode ser o que morreu no Parque das Hortênsias, já que o leão do parque era macho e a carcaça encontrada no Jardim Record é de uma leoa. Ao que tudo indica o mistério em torno da origem da leoa descartada morta em Taboão da Serra só poderá ser esclarecido por meio de investigação policial. Ninguém sabe ao certo quando o mistério em torno do caso será solucionado e as especulações sobre como a leoa foi morta e descartada no terreno do Jardim Record é crescente. Já tem gente dizendo até que o animal foi comprado depois de morto para ser desovado em Taboão. Também há os que defendem que a leoa na verdade é o leão que morreu no parque.

“Não temos nenhum leão e nem estrutura para manter um animal de grande porte. Desde que foi implantada a lei que proibiu os animais. Nós já tivemos leão, tigre, camelo e urso. Doamos todos eles a um zoológico quando a lei de proibição foi aprovada”, afirmou seu Claudinei. 

Morador da Vila Iase ele viveu os tempos áureos dos circos e mantém com garra a tradição de levar o espetáculo circense para outras cidades.  O circo Premier faz turnês nas cidades da região como Cotia, Embu das Artes e Itapecerica. Esse ano os espetáculos começam por Taboão mas a caravana circense deverá voltar a outros locais. 

“Várias pessoas vieram perguntar se a leoa era nossa. Não é nunca foi. Mas sei de gente acostumada a criar esse tipo de animal em jaulas nos sítios e chácaras”, disse. 

Por meio de nota no Facebook o prefeito Fernando Fernandes disse que a felina encontrada morta não pertencia ao zoológico municipal. Ele lembrou que o leão do parque era macho e a que foi descartada uma fêmea.

O Jornal na Net apurou que durante vários anos um morador do Condomínio Rural Chácara Iolanda criava um leão no local. O animal teria falecido anos depois em decorrência da idade avançada.

A reportagem do Jornal na Net não conseguiu contato com o delegado responsável pela investigação sobre a morte e o descarte da leoa.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.