Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Educação

Estudantes recebem medalhas das Olimpíadas Literárias

Por Prefeitura da Estância Turística de Embu das Artes | 5/12/2013

curse600

Prefeitura de Embu das ArtesA escola, com cerca de 236 estudantes, produziu os trabalhos por meio de relatos sobre a cidade enviados pelos próprios pais

A entrega das medalhas das Olimpíadas Literárias aconteceu em ritmo de festa no Núcleo de Educação Infantil (NEI) Valo Verde. Em meio a Feira Cultural, os estudantes receberam as medalhas e também um certificado emitido pela própria escola.

Quatorze estudantes foram condecorados, são eles: Rebeca Salles, Kaique Rodrigues Pereira, Karen Fabiani de Brito Silva, Davi da Silva Barros, Rayki Guimarães Santana, Daniel Rodrigues Ferreira, Lucas Rikelmy Viera, Ana Julia Alves Pereira, Vinicius Moura dos Santos, Lucas Francisco Campos, Halley Xavier da Silva, Laweny Hillary Dionísio, Lavinya Xavier Oliveira e Asheley Marie de Souza Matos. A escola está concorrendo na modalidade expressão livre (ilustração).

Apresentações teatrais e exposição dos trabalhos confeccionados por professores e estudantes ao longo do ano letivo, complementaram o ambiente. Para a diretora Maria das Dores Leonel, a Doris, o sucesso das Olimpíadas Literárias se deve ao fato dela envolver toda a comunidade ao entorno da escola: “Envolve os pais e os familiares é um projeto que vai além da escola e, por tanto, motiva a todos. O envolvimento dos pais na educação dos filhos reflete positivamente na formação deles.”

Cada educador trabalhou a temática das Olimpíadas Literárias de maneira diferente em sala de aula. Um dos trabalhos que mais chamava a atenção na Mostra Cultural, foi uma enorme colcha de retalhos composta por uma história coletiva. A produção foi realizada pela professora Gisele Guimarães em conjunto com os estudantes da fase 5A.

Para Karina Rodrigues de Andrade, mãe de Kaique, 5, a premiação do filho é motivo de alegria: “Eu estou muito orgulhosa, também aprendi um pouco mais sobre a cidade e, com certeza, ele também terá um pouco mais de história para contar quando tiver filhos”.

A escola, com cerca de 236 estudantes, produziu os trabalhos por meio de relatos sobre a cidade enviados pelos próprios pais. Segundo a coordenadora Luciana Aparecida da Silva, o envolvimento da família e dos professores foi fundamental para o trabalho: “A maneira como cada professor trabalhou o tema e a emoção que os estudantes sentem por saber que estão falando sobre a história dos próprios, contribuíram para esse resultado maravilhoso.”

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.