Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cotidiano

Compras de fim de ano aquecem o comércio em Taboão com Black Friday

Por Anderson Dias | 1/12/2013

festa

Divulgação Compras de fim de ano aquecem o comércio em Taboão com  Black Friday

A população de Taboão da Serra já se prepara para as compras de natal e nessa primeira semana de dezembro o comércio da região foi aquecido com produtos que encheram os olhos dos consumidores. Por todos os lados os mais variados artigos estampados estrategicamente chamando a atenção no apelativo estilo Black Friday. Com tamanhos, cores e dizeres convidativos, as promoções atraem, mas podem elevar os custos de fim de ano.

“As minhas compras de fim de ano já estão feitas, mas confesso que esse ano tudo está com o preço mais caro, mas não tem jeito tem de ser feito”, disse Ana Paula Lina.

Como em todos os anos as empresas do varejo concedem um desconto, no qual afirmam ser especial, trata-se de um modelo americano, chamado Black Friday, que significa o dia mundial do desconto, em que consumistas podem encontrar preços pela metade do valor real. Mas é preciso ter cuidado, alerta o Procon, o órgão chegou a listar 325 empresas que devem ser evitadas no evento.

“Não há nada com desconto, os preços são os mesmos de todo o ano, aqui parece que esse negócio de Black Friday, não funciona muito não”, disse Marcelo Lopes.

O site da revista norte-americana “Forbes”, na última sexta-feira (29), definiu sem muito rodeio como é a Black Friday, brasileira "Se nos Estados Unidos, a Black Friday é a largada da temporada de compras de Natal, no Brasil, é uma data para varejistas enganarem consumidores ávidos", definiu o site. Em Taboão da Serra lojas expõem em suas fachadas o título de mega desconto, mas o alerta vale aqui e na região também, garantem os órgãos de proteção ao consumidor.

“Black Friday, só existe fora do Brasil, aqui é enganação total, um absurdo o que fazem com os consumidores, e nenhuma autoridade toma providências”, disse Ariadne Souza.

A Câmara Brasileira de Comércio, elaborou um código de ética que protege consumidores e varejistas, no qual empresas que desrespeitarem as regras estarão fora do evento em 2014.O Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IVD), também está de olho na reclamação dos consumidores, para evitar os transtornos causados em 2012. Relatos de fraudes na Black Friday podem ser feitas nas redes sociais com hashtag deolhonaBlackFriday.

“É preciso que haja respeito com o consumidor, se não existe desconto, não faça propaganda enganosa, isso é brincar com o sentimento de quem sonha em adquirir um sonho”, disse Leandro Mateus.




Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.