Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

Vereadores de Taboão prorrogam por 90 dias Comissão de Acompanhamento

Por Sandra Pereira | 9/10/2013

450

Sandra PereiraSessão foi atípica e marcada por "conflitos" internos entre os vereadores

Não fosse a votação para ampliar por mais 90 dias os trabalhos da Comissão Especial de Acompanhamento criada para cobrar a construção da alça de saída do Shopping Taboão, com destino a Embu das Artes, os vereadores de Taboão da Serra não teriam produzido nada na sessão desta terça-feira, 8. Eles passaram a maior parte do tempo numa reunião por conta de uma indicação da vereadora Érica da Enfermagem que  teria azedado o clima na sessão.  Os vereadores evitaram falar do assunto claramente, mas em vários momentos e falas era possível captar as críticas veladas e disparadas com endereço certo. 

O episódio envolvendo as indicações expressa um comportamento que tem sido recorrente na atual legislatura: fazer indicação de alguma obra ou ação que a prefeitura pretende realizar. Foi assim com o Vale Transporte, Bom Prato, o Poupatempo, as academias públicas e a revitalização do Parque das Hortênsias.  A situação foi descrita assim por um vereador nesta terça “o prefeito comenta o que vai fazer com a base e daí todo mundo quer ser o pai da criança”. 

O andamento dos trabalhos da Comissão de Acompanhamento da alça de saída do shopping por vezes provoca polêmica na Casa e discordância entre os pares.  O vereador Moreira defende que seja criada uma CPI com amplos poderes para investigar o descumprimento das medidas mitigadoras e do projeto de implantação do shopping.  Já o presidente da Comissão diz que a demora no andamento dos trabalhos garante a qualidade da investigação sobre o tema. 

“Enquanto a gente não criar essa CPI o shopping vai continuar arrecadando muito e brincando com a gente. A obra do estacionamento já está quase acabando e até agora a diretoria não deu nenhuma explicação a essa Casa”, alfinetou Moreira.  

Ele revelou ter informações de que o estacionamento do shopping não está repassando o recurso devido ao Fundo Municipal dos Diretos da Criança e do Adolescente, conforme consta no bilhete de pagamento. 

Na defesa da comissão e dos seus trabalhos o presidente Marcos Paulo disse que a meta é cobrar a construção da alça de saída para Embu das Artes e todos os demais itens que constam na relação das medidas mitigatórias, como a construção de pontos de ônibus.  

Nesta quarta-feira, 9, a partir das 14 horas da manhã a comissão planeja ouvir representantes da prefeitura e da administração do shopping.



Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.