Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Transporte e Trânsito

Comitiva de Taboão vai se reunir com a ANTT e pedir retorno no São Judas

Por Sandra Pereira | 12/09/2013

retono500

Sandra PereiraTaboão só possui retorno na Avenida Paulo Ayres, no Parque Pinheiros, que vive constantemente congestionado

A construção de um retorno nas imediações do Jardim São Judas destinado a atender aos moradores da região mais populosa de Taboão da Serra voltou à pauta da administração municipal. A reivindicação é antiga, assim como as mobilizações em favor da construção. O prefeito Fernando Fernandes e o presidente da Câmara Municipal de Taboão da Serra, Eduardo Nóbrega vão à Brasília no final do mês se reunir com dirigentes da ANTT para tratar do tema. Nóbrega anunciou à viagem na tribuna da Câmara e disse que a comitiva taboanense vai pedir o retorno mais próximo ao São Judas com o intuito de melhorar o acesso a bairros como Vila Indiana, Comunitário, Saint Moritz e toda a região do Pirajuçara. 

O presidente da Câmara voltou a dizer que o retorno previsto para Embu das Artes não atende aos moradores de Taboão e acusou novamente os políticos da cidade vizinha de “tomar” o acesso previsto para Taboão. No dia 7 de outubro a construção do retorno será debatida numa reunião realizada no São Judas na paróquia do padre Lulinha.  Na ocasião será apresentado um estudo de viabilidade técnica da obra. Moradores e lideranças políticas de Taboão se queixam com frequência do fato da autopista não ter feito em Taboão investimentos como em outras cidades onde a concessionária chegou a implantar dispositivos de retorno e até iluminação pública. A autopista alega que a cidade foi prejudicada pela briga do ex-prefeito em favor da municipalização da Régis, da qual ele desistiu ao constatar o alto custo de manutenção.

“Não vamos aceitar que Taboão perca o seu retorno. Vamos à ANTT e dizer que a cidade precisa desse investimento. É esse o desejo da nossa população”, afirmou.
Atualmente Taboão conta apenas com o pontilhão de acesso na Paulo Ayres para que os motoristas cruzem de um lado para o outro da cidade. Por conta disso o trânsito é caótico nos horários de pico e os condutores precisam de paciência para mudar de sentido nas pistas da Régis Bittencourt. Para quem não quiser utilizar a Paulo Ayres só resta a alternativa de ir ao centro de Taboão para retornar ou seguir até Embu das Artes. 

"O retorno faz parte do nosso programa de governo. Já temos audiência com o Denit. Vamos estreitar a relação com a Autopista e ver no que a prefeitura tem que participar para incluir no Orçamento e garantir o retorno", garantiu o prefeito Fernandes em entrevista recente ao Jornal na Net

Ele disse que já manteve contato com alguns integrantes da Autopista Régis Bittencourt para tratar das marginais que serão construídas na cidade. "Queremos conversar com a Autopista e pedir que invistam em Taboão da Serra como ocorreu nas outras cidades. Mas queremos fazer isso num ambiente mais amistoso. Esse tipo de briga que havia entre a autopista e a cidade era ruim. Ninguém ganhava com isso", declarou.

A deputada Analice Fernandes defende a parceria entre os governos estadual e federal para garantir a realização da obra. “Sempre me manifestei favorável ao retorno na região do São Judas. Estou à disposição da comunidade para que os governos estadual e federal se unam para construir essa obra que é fundamental para os moradores de toda a região”.

Alça de saída do Shopping Taboão 

Outra luta que a cidade trava é pela construção da alça de saída do Shopping Taboão em direção à Embu das Artes, fundamental para melhorar a fluidez no trânsito. Uma comissão foi formada na Câmara para cobrar o cumprimento do contrato de implantação do shopping, mas os trabalhos estão paralisados há quase um mês. Como o assunto é pauta recorrente no legislativo local, surge e morre com frequência, parece que mais uma vez foi sepultado. 


Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.