Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

Mobilidade urbana pauta discussão na sessão da Câmara de Taboão

Por Sandra Pereira | 4/09/2013

carlinhos1

DivulgaçãoPresidente da Comissão de Transportes da Câmara vai chamar audiência pública para discutir ciclovia em Taboão da Serra

Dois temas relacionados à mobilidade urbana prevaleceram na sessão desta  terça-feira, 3, na Câmara Municipal de Taboão da Serra. Os vereadores discutiram a reivindicação sobre a implantação do retorno no São Judas e receberam uma comissão de ciclistas da cidade que foi reivindicar uma audiência pública para discutir o fechamento da ciclovia na cidade. Eles querem a implantação de uma nova ciclovia, bem como a realização de campanhas educativas visando garantir a segurança e estimulando o conceito de trânsito compartilhado, onde pedestres, ciclistas e veículos possam conviver em harmonia. Os vereadores não votaram requerimentos e nem indicações e aprovaram novo pedido de vistas ao projeto que visa conceder alvarás de funcionamento aos comércios do município - relembre aqui.

Após reunião com os ciclistas os vereadores optaram pela realização de uma audiência pública proposta pela Comissão de Transportes da Câmara. O presidente da comissão, vereador Carlinhos do Leme, lembrou que desde a sua implantação a ciclovia que funcionava na Armando Andrade foi alvo de críticas. Na reunião os vereadores falaram sobre denúncias de superfaturamento na implantação da ciclovia posteriormente desativada. Moreira chegou a revelar que a cidade terá de devolver R$ 700 mil ao governo federal graças à desativação do equipamento.

"Nessa audiência pública traremos o secretário de Transporte para explicar melhor o fechamento da ciclovia. Acreditamos que um erro do passado não pode justificar outros erros. A cidade não pode deixar de dialogar com os ciclistas. Temos que conhecer as necessidades e os anseios deles", afirmou Carlinhos do Leme, afirmando que é preciso verificar os possíveis trajetos entre outras questões.

A sessão seguia para o encerramento quando o presidente da Câmara Municipal, vereador Eduardo Nóbrega, acusou na tribuna o prefeito de Embu das Artes e o deputado de levar para Embu das Artes o retorno na BR previsto para Taboão da Serra. O presidente relatou que esteve em várias reuniões na antiga OHL e na ANTT para garantir a implantação do retorno pra atender Taboão da Serra. Ele acusou a administração do ex-prefeito Evilásio Farias de ser lenta e ineficiente no assunto.


"Foi o PT que levou o retorno de Taboão para o Embu. Sei que o PT tem várias alas e que a ala do vereador Moreira não faz esse tipo de coisa. Mas, os cidadãos de Taboão da Serra foram traídos com a retirada desse retorno.Não vamos permitir oportunismo nessa questão. Iremos engrossar a luta do padre Lulinha, do Cido, do ex-vereador Macário, ex-vereador Olívio Nóbrega e tantos outros que há anos pleiteam esse retorno", afirma. "O deputado Geraldo Cruz teve 15 mil votos na cidade e não  brigou pelo nosso retorno. O PT foi mais inteligente que o Evilásio e levou o retorno do São Judas para o Embu, sem levar em conta as consequências para Taboão", disparou.

O presidente disse que pretende engrossar a luta. Revelou que o MST já dispôs a entrar na briga e até mesmo promover o fechamento da BR.

O tema do retorno no São Judas voltou à Casa em razão de pronunciamento feito na tribuna popular pelo ex-vereador Macário que falou sobre a reunião ocorida com representante da Autopista Régis Bittencourt na última semana. Relembre aqui. Macário lembrou que a luta é antiga. Disse que já foram realizadas dezenas de reuniões, abaixo assinado e criticou a falta de vontade política da ANTT de atender a demanda da população de Taboão da Serra. Também lamentou o fato da cidade ter sido a menos contemplada com investimentos pela Autopista e alertou que uma ampla mobilização está sendo organizada para revindicar a implantação do dispositivo de retorno no São Judas.


“A questão do retorno na região do São Judas é uma luta antiga. Nós já fomos na Autopista, na ANTT e no Denit. Se necessário nos vamos fechar a BR. Chamar a população para participar. O engenheiro chegou a dizer que seria caro construir o viaduto. Mas esse argumento não vai convencer à população.  Me disponho a recolher as assinaturas necessárias para que a cidade possa ter esse retorno”, relatou o vereador Cido.

O presidente encerrou a sessão afirmando estar orando para que a prefeitura de Embu das Artes pague em dia o salário dos funcionários públicos da cidade.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.