Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

Impasse entre vereadora Érica e ex-apoiador preso por extorsão continua em Taboão

Por Sandra Pereira | 7/08/2013

erica

Sandra PereiraChininha acusa vereadora de não honrar compromisso de campanha; Érica se defende dizendo que vinha sendo ameaçada constantemente por ele

O impasse entre a vereadora de Taboão da Serra Érica Franquini e seu apoiador de campanha Amilton Paulino Brandão de Oliveira, conhecido como Chininha, preso após ser acusado de tentar extorquir a vereadora (relembre aqui) ecoou na sessão da Câmara nesta terça-feira, 6. Chininha e alguns moradores da região do São Judas estiveram na sessão com faixas e cartazes pedindo Justiça. Numa das faixas constava a inscrição “o povo põe o povo tira, São Judas pede Justiça”. Chininha usou a tribuna popular, mas não conseguiu falar alegando estar abalado após ficar preso durante cinco dias. Ele garante ter sido acusado injustamente. Já a vereadora Érica Franquini disse que vem sofrendo perseguição e ameaças dele há vários meses.

 “Eu apoiei a vereadora. Ela foi na minha casa me prometeu emprego, ajuda nos projetos da comunidade e quando fui cobrar dela acabei preso como um bandido”, desaba. “Ele me acuou por vários meses. Só eu e Deus sabemos o que venho sofrendo nas mãos dele”, defende-se a vereadora.

Chininha é líder comunitário na região do São Judas e foi detido em flagrante acusado de extorsão, após discutir com a vereadora Érica no gabinete dela. Ele diz que foi lá cobrar compromissos que ela teria assumido durante a campanha. Ela afirma que ele foi exigir a quantia de R$ 600, 00 houve discussão entre ambos, a Guarda Civil foi acionada e ele acabou sendo levado para a delegacia onde foi lavrado o Boletim de Ocorrência por extorsão.

“Jamais pensei ficar preso por vir procurar a vereadora que eu apoiei. Não sou bandido, sou da comunidade”, observa. Já Érica Franquini aponta que Chininha a teria ameaçado de agressão e proferido palavras de baixo calão contra a sua pessoa. “Não tenho nada haver com o fato do delegado ter prendido ele. Eu sou vereadora, sou mulher e qualquer mulher teria feito a mesma coisa”, disse.

O clima na Câmara ficou pesado durante a maior parte do dia graças à expectativa gerada pelo uso da tribuna popular por Chininha. Os ânimos arrefeceram depois que ele não conseguiu falar e se limitou a pedir Justiça. Mas esquentou novamente quando a vereadora Érica usou a tribuna e se queixou “das constantes ameaças e agressões do ex-apoiador”. Os vereadores evitaram falar do assunto, mas admitiam nos bastidores o desconforto gerado pela situação. Alguns defendiam que o assunto deveria ter sido tratado particularmente enquanto outros diziam que levar o caso à polícia foi a melhor alternativa. 

“Há oito meses eu tenho sofrido horrores com o Amilton. Ele tem ido às repartições falando coisas horríveis, de baixo calão ao meu respeito Só que naquele dia eu não aguentei. Não aguentei por ser mulher, ser o sexo frágil”, relatou a vereadora acrescentando que no fundo não queria que ele fosse preso. “Só queria que ele parasse de fazer essas coisas. Mas Chininha não é a vítima que diz ser. Minha consciência está tranquila, mas ele sempre chegava agressivo. Minha assessoria feminina sentia medo toda vez que ele vinha na câmara”, contou. 

Por lado o agora acusado de extorsão diz que mora em Taboão há 34 anos e sempre realizou trabalhos sociais nas comunidades carentes, onde é conhecido, sem jamais ter se envolvido em questões policiais. “Ela manchou a minha vida. Minha mãe está sofrendo muito com tudo isso. Eu fui parar no inferno porque a vereadora não cumpre o que promete. Passei cinco dias presos com bandidos. Vi gente apanhando, dormi no chão, tive de comer comida azeda e vi muita gente apanhando. Minha vida não será mais a mesma”, concluiu. 

Enquanto perdura o impasse entre ambos Chininha vai responder a processo de extorsão em liberdade. Mas tem que cumprir várias exigências como a de estar em casa  as 10 horas e não poder deixar a cidade. O sonho dele de ocupar um cargo na área de cultura em Taboão da Serra nunca esteve tão distante de ser concretizado. 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.