Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Transporte e Trânsito

Donos de áreas desapropriadas em Taboão cobram explicações da Autopista Régis Bittencourt

Por Sandra Pereira | 21/03/2013

Desapro

Sandra Pereira Biólogo mostra área que será desapropriada pela Autopista Régis Bittencourt e pede pagamento justo às famílias

Proprietários de algumas das 11 áreas desapropriadas em Taboão da Serra, por meio de decreto presidencial, para implantação de marginais da Rodovia Régis Bittencourt, alegam terem sido pegos de surpresa pelo decreto que determina a desapropriação em regime de urgência. Eles disseram ao Jornal na Net não serem contrários ao projeto e nem a desapropriação das áreas mas, criticaram a falta de acesso às informações a cerca do pagamento das indenizações assim como os valores e critérios adotados. A Autopista estima gastar R$ 9,5 milhões com as obras, mas não diz quanto pretende gastar com o pagamento de indenizações. As famílias temem que os valores pagos pelas áreas atingidas pelo decreto sejam abaixo do valor de mercado praticado em Taboão da Serra. Leia mais aqui.

"Moro com a minha mãe na casa ao lado da BR. Ela já é bem idosa e não queremos mudar pra longe do local onde moramos a vida inteira. A gente sabe que a desapropriação é inevitável. Só queremos garantias de que vamos receber um valor justo pela nossa casa pra gente poder continuar morando por aqui", afirma Luciana Vieira, 35, anos, moradora da Régis Bittencourt nº 2779.

Quem também está preocupada com os critérios para o pagamento das indenizações é a viúva aposentada Maria Aparecida Amaral Carneiro, 72 anos. Ela chegou a Taboão da Serra bem antes da Rodovia Régis Bittencourt ser construída. Morava numa casa que teve o quintal invadido durante a construção da Régis. Ela lembra que perdeu uma área equivalente a 75 metros e alega que nunca recebeu indenização.

 "Espero até hoje pela nossa indenização.  Nós fomos muitas vezes atrás entramos na Justiça e nunca recebemos importante centavo. Não comprei nada ilegal se hoje é nao foi minha culpa. Só não quero perder meus direitos de novo", desabafa em tom de preocupação.

A aposentada e os dois filhos dela dizem que vêem com desconfiança o fato da Autopista Régis Bittencourt se recusar a dar informações precisas sobre o pagamento das indenizações. Ela quer saber qual o valor do metro quadrado que a Autopista pretende pagar. Também quer saber o prazo e a forma de pagamento. Além disso, também quer saber mais detalhes do projeto e quantas pessoas são atingidas para conseguir trocar informações com eles.

 Já o biólogo Reinaldo Amaral acredita que a forma como a Autopista vem agindo com os moradores "desrespeita os direitos constitucionais dos envolvidos". Para ele o projeto de implantação das marginais proposto no PER, é fundamental para minimizar os transtornos enfrentados no trânsito de Taboão da Serra. 

"Ninguém questiona a importância do projeto, mas os nossos direitos precisam ser respeitados. Tem ainda uma decisão judicial que impede a gente de vender a área, o que pra mim é uma forma indireta de desapropriação",  relata o biólogo.

 O condomínio Jardim Iolanda também é uma das áreas atingidas pela desapropriação. O síndico do local, Nilton Esteves  disse que já participou de  uma reunião com o representante legal da empresa Autopista Régis Bittencourt, Francisco  Silvério. Ele também esteve em outros locais da cidade e sua abordagem é criticada pelos moradores que chegam a reclamar do fato dele ter usado de subterfúgios para ter acesso às escrituras das propriedades.


“Na reunião expusemos a nossa preocupação, com a realização da obra nos moldes em que está programada. A  redução em termos de área  livre,  inviabilizará a nossa portaria, que  está equipada para recepcionar, com segurança , caminhões e veículos  pesados”, reclama Nilton Esteves, lembrando ter gerido à concessionária que refizesse os cálculos para evitar maiores prejuízo ao condomínio e não haja a necessidade de ações judiciais.

“Sugerimos a  Autopista que refizesse os seus cálculos, com o objetivo de contemplar  os nossos pleitos, no sentido de  transferir, sem custo para o condomínio, a nova portaria, que seria  edificada dentro  do próprio condomínio. Deste modo,  todo o processo de desapropriação de efetivação da obra,  certamente fluiria  com normalidade, sem os percalços próprios de questionamentos  judiciais”, disse Esteves.


O outro lado


Autopista Régis Bittencourt informou ao Jornal na Net por meio de nota que as obras de implantação das ruas laterais de Taboão da Serra estão previstas no Contrato de Concessão firmado com o Poder Concedente, ou seja, é uma obrigação contratual. 

“O projeto é elaborado de acordo com as necessidades físicas para implantação das ruas laterais, que irá garantir a acessibilidade com segurança às propriedades lindeiras à rodovia. A Concessionária esclarece que a desapropriação é necessária para a execução das obras e que os processos de indenizações seguem os trâmites legais normais”, diz a nota, que não trata sobre o pagamento das indenizações apesar dos questionamentos levantados pela reportagem do Jornal na Net.

As obras estão previstas para serem iniciadas no segundo semestre de 2013.  A concessionária será responsável pela desapropriação das áreas de terrenos e benfeitorias utilizando recursos próprios e cumprindo as obrigações junto às entidades ambientais e demais órgãos da administração pública.


Hélio

Pois é, esse Sr. Marcos deve ser empregado da empresa que administra a a rodovia, ou nunca dirigiu por toda a extensão dessa rodovia.

Antonio Pereira

A Autopista Régis Bittencourt é uma das piores concessionárias que foi contratada pelo governo federal, pois, é a que menos investiu em melhorias até o momento. Havia comentários que iria perder a concessão da rodovia para outra empresa de maior porte e rapidamente correram para tirar o atraso. Somente é de se estranhar o fato de agirem na calada do noite com o projeto de desapropriação destas áreas.

edison bochete junior (nior)

acredito ser de interesse de todos a ampliação da Br-166, trazendo mais tranquilidade aqueleS que dela utilizaM, acredito tambem que o progresso chega, porém, acredito na transparencia daqueles que trazem o progresso, assim, justo, pagarem aqueles que ali moram a tantos anos onde alguns histroias tem para contar de nosso municipio,OU SEJA PAGAR aquilo que é justo, não o valor do imovel e sim trez vezes mais o valor, posto, estes estarem cedendo aquilo de maior valor DE SUAS VIDAS, suas CASAS.......PARABENS PELO PROGRESSO.......e TAMBEM PARABENS AQUELES QUE TEM OLHOS HUMANIZADOS, POIS, PARA O PROGRESSO CHEGAR ALGUNS TENHAM QUE PERDER PARA QUE MILHARES DE OUTROS VENHAM A GANHAR...... NIOR.

fabio

Além da desapropriação, deve existir outro interesses, como por exemplo, pedágios nessas marginas !!! Vamos ficar o olhos bem abertos !!!! ACORDA POVÃO !!!

marcos

Pelo jeito esse Sr Hélio nunca circulou pela BR, pois depois da concessionária a pista está cada dia melhor muito bem conservada inclusive equipe de limpeza diariamente recolhendo o lixo que o zé povinho atira pelas janelas dos carros, cobram além do que tem direito e esquecem de deveres simples.

Souza

O progresso chega e não pede licença, o maior problema é o zé povinho reclama do congestionamento, mas na hora de abrir a cabecinha para entender a necessidade da ampliação preferem meter o pau, utilizo diariamente a BR há mais de vinte anos e nunca ví esta pista tão bem conservado como está hoje e a tendencia é so melhorar cada dia mais, basta consultar o indice de acidente que reduziu consideravelmente e deixou a má fama de rodovia da morte.

Hélio

Essa empresa não cuida nem das pistas, nem dos acostamentos, que se dirá das "marginais". Olho neles.

Nilton Benedito Esteves - Síndico Jardim Iolanda

O Condomínio Rural Jardim Iolanda já sofreu uma desapropriação no ano de 1.976 em 2369,50 m2. Conseguimos receber a indenização através de precatórios, sendo que a última parcela foi paga ano passado, depois de 36 anos de desapropriação.

28/04/2017

Manifestantes fecham Régis param a região por causa da greve geral

A greve geral deflagrada em protesto contra as reformas da previdência e trabalhista...

28/04/2017

Ônibus intermunicipais param em adesão a greve geral contra as reformas de Temer

Os moradores de Taboão da Serra, Embu das Artes e Itapecerica da Serra que utilizam o transporte...

27/04/2017

Uber vai incentivar compartilhamento de carros no dia da greve

A Uber vai incentivar o compartilhamento de carros em São Paulo na sexta-feira. Várias...

20/04/2017

Audiência pública na Câmara Municipal discute polêmica de convivência

A Comissão de Trânsito e Transporte da Câmara Municipal de Taboão da Serra debateu nesta...

09/04/2017

Administração Jorge Costa pavimenta estrada no Potuverá em Itapecerica

A Prefeitura de Itapecerica da Serra, por meio de uma parceria com a iniciativa privada,...

09/04/2017

Avenida de Taboão ganha faixa reversível em caráter experimental

Uma faixa reversível foi implantada pela Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana de Taboão...

09/04/2017

Taboão implanta selo de qualidade no transporte público

Um adesivo quadrado, com cerca de 10 centímetros, mas com uma capacidade expressiva de armazenar...

09/04/2017

Autopista Régis Bittencourt implanta nova passarela em Itapecerica

A Autopista Régis Bittencourt realiza a implantação de uma nova passarela na BR-116/SP, na...

06/04/2017

Motorista de caminhão colide com 12 veículos e atropela idosa em Taboão da Serra

Um acidente provocado por um caminhão causou pânico na tarde desta quinta-feira (06), na Rua...

05/04/2017

Prefeitura de Taboão convoca moradores que trabalham com UBER para cadastro

 

A secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana (SETRAM) de Taboão da Serra está convocando...

28/04/2017

Manifestantes fecham Régis param a região por causa da greve geral

A greve geral deflagrada em protesto contra as reformas da previdência e trabalhista...

28/04/2017

Ônibus intermunicipais param em adesão a greve geral contra as reformas de Temer

Os moradores de Taboão da Serra, Embu das Artes e Itapecerica da Serra que utilizam o transporte...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.