Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Meio Ambiente

José Maria questiona taxa de lixo cobrada em Itapecerica

Por | 26/04/2010

lixo 1_1.jpg

Lixo voltou a ser discutido na última na Câmara de Itapecerica

Ultimamente a questão do lixo vem causando muita discussão tanto entre os munícipes, quanto para os vereadores de Itapecerica da Serra. Na terça-feira, 20, durante a sessão da Câmara Municipal da cidade não foi diferente.O vereador José Maria, PT, em forma de requerimento pediu alguns esclarecimentos sobre o lixo recolhido nas residências e no comércio, além de outros questionamentos.

A Reportagem do Jornal na Net já divulgou em suas matérias que o lixo que é recolhido na cidade é transportado até Caieiras, isso acontece porque o aterro que existia em Itapecerica está interditado. O transporte para Caeiras torna o serviço mais caro.

Na tribuna o vereador petista afirmou que a taxa de lixo está muito alta na cidade. “A taxa domiciliar limite é de R$ 200,00, mas o valor varia de acordo com o tamanho da residência. Já nos comércios o valor cobrado chega a R$ 350”, argumentou.

Para ele o requerimento questiona como anda a arrecadação da taxa do lixo e da limpeza pública e ainda pode convencer o prefeito Jorge Costa a diminuir o valor taxa. “A população não está mais aguentando pagar esse valor alto de taxa, ele (Prefeito) precisa dar atenção a esse problema e, além disso, fazer um ajuste de acordo com o salário dos munícipes”, afirmou.

O Presidente da Câmara Amarildo Gonçalves, Chuvisco também subiu a tribuna para falar sobre o lixo. Para ele o valor é de R$ 90,00 para coleta domiciliar e até R$ 350,00 para coleta nos comércios. Chuvisco disse que a taa não está cara, assim como afirmou o vereador petista.

“Se dividirmos esse valor, daria mais ou menos R$ 7,50 por mês, o caminhão de coleta passa três vezes por semana na porta das residências, o valor seria de 70 centavos”, destacou.

“O trabalho que acho caro é o prestado pela Eletropaulo e Sabesp, a Sabesp muitas vezes se desloca até algumas ruas para fazer o encanamento e não termina o trabalho, deixando as mesmas em péssimo estado”, afirmou Chuvisco, acrescentando que a taa só se torna cara se o serviço não for realizado com qualidade.

Nos dois requerimentos apresentados a mesa e aos demais vereadores sobre o mesmo tema, José Maria pergunta ao prefeito qual foi o montante da receita arrecada com a taxa de lixo em 2009, quais os critérios utilizados para dimensionar o enquadramento da cobrança da taxa do lixo, qual seria o impacto financeiro, para que a administração em seu Plano Orçamentário para 2011 possa abrir mão das receitas provenientes dessa taxa.

No outro requerimento apresentado o vereador questiona se existe um levantamento informando qual o montante de lixo reciclável recolhido e sua proporção em relação ao lixo total. As outras duas perguntas são sobre projetos futuros como estão os preparativos para a construção dos galpões de coleta seletiva do Parque Paraíso e do Jardim Jacira, e também se caso a Sabesp assine o convênio para administrar o Aterro Sanitário na cidade, como irá proceder o trabalho, será o mesmo mecanismo que trabalha uma Usina de Tratamento de Lixo, questiona.

Os dois requerimentos foram aprovados por unanimidade pelos demais vereadores.

O outro lado

Em entrevista ao Jornal na Net o Secretário de Obras de Itapecerica da Serra, Carlos Hueb afirmou que a taxa do lixo não éa cara. “Hoje o que os moradores de Itapecerica pagam de lixo é aquem do que pagamos para arrecadá-lo”, afirmou.

Segundo Carlos Hueb a taxa de R$ 7,50 por mês não paga nem sequer o combustível. “Só de pedágio cada caminhão precisa pagar R$ 7,90, ainda tem a manutenção do caminhão, salário dos funcionários, combustível, trabalho e dinheiro para levar o lixo até Caieiras”, explicou.

Carlos Hueb esclareceu a Reportagem do Jornal na Net que mesmo que o valor pago em cada casa seja inferior ao gasto total que o caminhão do lixo gasta, isso não significa que Itapecerica está com dividas. “O valor que a coleta arrecada durante o ano, somente gastamos 3% para coletar. Estamos em patamar satisfatório, isso porque tem cidades que gastam 7% para coletar”, relatou.

Carlos ainda afirmou que está preparando um relatório detalhado das questões apresentadas pelo vereador José Maria e que assim que estiver pronto, a Reportagem do Jornal na Net será acionada para uma reunião com o parlamentar. “Depois de apresentar esse relatório acredito que o vereador José Maria, não achará mais a taxa do lixo cara”.

Em primeira mão, Carlos Hueb relatou a Reportagem que está em estudo um transbordo na cidade, “mas isso ainda não está 100% definido”, afirmou.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.