Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Transporte e Trânsito

Motoristas de Taboão recebem R$ 250,00 para acumular função de cobrador em linhas circulares

Por Sandra Pereira | 7/03/2013

cobrador

Sandra PereiraCategoria se divide entre os que defendem a permanência das duas funções e os que querem apenas conduzir o veículo

A ausência de cobrador nas linhas circulares de Taboão da Serra é um tema frequentemente debatido entre a população e os agentes políticos do município. A  empresa Pirajuçara, responsável pelo transporte público na cidade não contrata cobradores para atuar nas linhas e paga aos motoristas uma quantia simbólica de R$ 250,00 para acumular a função de conduzir os veículos e cobrar as passagens dos usuários. Na prática, se a empresa contratar cobradores os motoristas vão deixar de receber a ajuda extra. O assunto divide a categoria entre os que defendem a medida e os contrários em razão da perda do dinheiro extra.

 “Para mim R$ 250,00 é muito pouco para acumular as funções de motorista e cobrador”, disse um motorista do Circular 6. “Eu prefiro fazer as duas coisas e receber os R$ 250 a mais”, apontou outro motorista de uma das linhas do Jardim Leme.

 A reportagem do Jornal na Net conversou com vários motoristas de ônibus em Taboão da Serra. Eles disseram receber vencimentos de R$ 1.700,00 para dirigir, receber e passar troco no período que oscila entre 7h20 até 9h20 de jornada. O trabalho é árduo e no calor piora ainda mais, mesmo nos ônibus mais novos equipados com ventiladores o problema é comum.

 Mesmo admitindo que o recebimento dos R$ 250,00 extras pelo acúmulo do trabalho de cobrador os motoristas ouvidos pela reportagem disseram que a empresa acumula lucro elevado e deixa de gerar mais empregos. Segundo ele, as linhas Circulares da cidade apresentam faturamento diário que varia entre R$ 500, até R$ 2 mil.

 “A empresa tem lucro alto daria muito bem para contratar cobradores”, admitiu um motorista de uma linha do Shopping Taboão.

 Nas linhas das extintas peruas de Taboão da Serra os cobradores recebiam 10% do total faturado durante o dia. A maioria dos cobradores era formada de jovens e mulheres que ressentem até hoje com a extinção do serviço de transporte alternativo na cidade.

 “O Evilásio (ex-prefeito) tirou o pão de muitos pais e mães de família de Taboão. Tirou nosso emprego e ainda deixou a gente cheio de dívidas”, lamenta um ex-perueiro da cidade.

 Bilhetagem Eletrônica


Recentemente o vereador José Aparecido Alves, o Cido, ingressou na Justiça para obrigar a Viação Pirajuçara a contratar cobrador para trabalhar em suas linhas, até o momento não houve decisão sobre o caso. Nos mais diversos locais do mundo onde o sistema de transporte público é modelo a profissão de cobrador não existe mais. A função acabou sendo substituída pela bilhetagem eletrônica.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.