Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cultura

Obra Reunida faz retrospectiva no Centro Cultural de Embu das Artes

Por Outro autor | 15/02/2013

“Obra Reunida” é o título da grande exposição realizada, de 15 de fevereiro a 06 de março, na cidade de Embu das Artes, local que o artista plástico Marrey Luiz Peres (1926-1993) escolheu para criar nos últimos anos de vida.

A convite da Secretaria Municipal de Cultura de Embu das Artes, a exposição acontece no Centro Cultural Mestre Assis de Embu - localizado em prédio histórico, antiga sede da prefeitura – e conta com mais de 100 obras, entre pinturas em acrílica e óleo, além de  peças decorativas em cerâmica e santas em terracota que compõem um panorama da obra de Marrey Peres nas mais de quatro décadas em que atuou.
Incluído no Dicionário Brasileiro de Artistas Plásticos, edição de 1977, como pintor, desenhista, ceramista e artista gráfico, Marrey Peres participou de incontáveis mostras, exposições e Salões de Arte como o Salão Nacional de Belas Artes (RJ), Salão Panamericano de Arte (RS), Salão Paulista de Arte Moderna, Salão Paulista de Belas Artes, Salão da Paisagem Paulista, Salão da Primavera e Salão Livre (estes últimos da Associação Paulista de Belas Artes), Salão da Xilogravura (SP), Salão Contemporâneo de Arte Sacra entre outros.
Conviveu com proeminentes artistas de São Paulo, principalmente em seus anos mais produtivos - décadas de 60, 70 e 80 -, período em que dirigiu a Associação Paulista de Belas Artes (APBA), em São Paulo. Ao longo de sua trajetória teve o privilégio de contar com mestres do porte de Mário Zanini, João Rossi, Innocêncio Borghese, Rodrigues Junior, Sante Bullo e Maria Albertina Vilaça Meyer.
“O primeiro fator que chama a atenção no conjunto da obra de Marrey Luiz Peres é a versatilidade de técnicas”, destaca o crítico Oscar D’Ambrósio. Segundo ele, porém, foi sobre a tela que Peres atingiu o apogeu de suas realizações, num exercício constante que o levou a explorar várias temáticas. “Seja na fase das flores, cabeças, paisagens - principalmente do Parque Trianon -, nos geométricos ou imagens próximas ao surrealismo, Peres mantém a coerência de lidar com a tinta. Destaca-se a escolha pelo verde. É curioso verificar como esse tom, bastante desafiador em termos de pintura, é usado com destreza não só em paisagens, mas nas cabeças pintando olhos e cabelos com esse matiz”, aponta D’Ambrósio.
Marrey Peres tinha um carinho especial pelo Embu das Artes. Na década de 90, o artista concluiu a construção do Centro Cultural Virada da Montanha onde pretendia desenvolver cursos de artes e promover exposições de jovens artistas. Marrey reunia artistas em sua residência para trocarem experiências sobre o assunto e segundo o coordenador de Artes Visuais da Secretaria de Cultura, Paulo Dud, Marrey Peres contribuiu muito para as discussões artísticas naquela época. “Ele promovia saraus, acendia uma grande fogueira, erguia um mastro no imenso quintal na época das festas juninas e sempre juntava os artistas para pensarem sobre a arte,” relembra Dud.

Marrey Luiz Peres, porém, pouco viu funcionar o sonhado Centro Cultural que criou, mas agora tem seu vasto acervo exposto na cidade que tanto amou.

Serviço:

Exposição: “Obra Reunida” – Marrey Luiz Peres
Vernissage: 15 de Fevereiro – às 19h00
Período: 16 de fevereiro a 06 de março de 2013 

Local: Centro Cultural Mestre Assis de Embu
Largo 21 de Abril – Centro – Embu das Artes 

Tel.: 4781-4462 

Horário de funcionamento: todos os dias, das 9h às 18h

Sobre Centro Cultural Mestre Assis de Embu

O local leva o nome de um dos ícones da arte do Embu, o Mestre Assis, e oferece gratuitamente ao público acesso à arte, cultura e ao conhecimento. Há três salas para exposições (Josefina Azteca, Ana Moysés e Jaldo Jones), além do auditório Cássio M'Boy, com capacidade para 150 pessoas, destinado a palestras, recitais, espetáculos musicais e teatrais.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.