Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Polícia

Juiz faz balanço positivo do primeiro dia de julgamento da fraude do IPTU de Taboão

Por Sandra Pereira | 21/01/2013

julga450

Sandra PereiraOitiva das testemunhas de acusação segue até sexta, depoimento das testemunhas de defesa será marcado depois

Foi intenso o primeiro dia do julgamento dos acusados de envolvimento na chamada fraude do IPTU de Taboão da Serra. Três testemunhas de acusação prestaram depoimento. Nesta terça-feira, 22, outras três devem ser ouvidas a partir das 10h. A meta do juiz Guilherme Alves Lopes Lamas é ouvir até a próxima sexta-feira todas as 14 testemunhas arroladas no processo. Para o magistrado o balanço do primeiro dia de trabalho foi positivo. Ele disse que o julgamento é difícil, mas demonstrou determinação de dar continuidade aos trabalhos. Leia mais aqui sobre o primeiro dia do julgamento.

“Até sexta vamos ouvir mais 10 testemunhas. Uma delas por precatória. Tivemos um dia produtivo no início dos trabalhos e quando acabarmos essa primeira etapa vamos observar a pauta para marcar a retomada dos trabalhos dessa vez com as testemunhas de defesa”, antecipou o juiz que também responde pelas varas de Execução, Infância e Juventude e Criminal.

O delegado Raul Godoy Neto foi o primeiro a ser ouvido. A segunda testemunha a depor foi a servidora nomeada Juliane Requena, ex-responsável pelo setor de cadastro da Secretaria de Habitação,  voltou a dizer que ouvia conversas relatando que havia ligação entre Márcio Carra e o ex-vereador Carlos Andrade. O último depoimento foi prestado pelo Sr. Diogo Pupo Nogueira, ex-proprietário de uma área comercializada com a ajuda de Milton Andrade.

O depoimento do delegado Raul Godoy durou toda a manhã. Ele disse não recordar nomes, números e nem o valor da fraude citada. Alegou não se lembrar com precisão dos fatos que investigou à época, mas, confirmou todas as informações do relatório da investigação sobre o caso e voltou a declarar que não há indícios da participação do ex-secretário Luis Antônio na fraude do IPTU. Também repetiu que os relatórios emitidos pela Conan não são críveis. O delegado foi a testemunha mais inquirida pelos advogados de defesa dos réus. 

“Até o momento que presidi o inquérito não encontrei indícios de envolvimento do ex-secretário Luis Antônio na fraude do IPTU”, apontou.

Questionado sobre as intenções políticas do investigador Ivan Jerônimo o delegado disse que sua ligação com ele era meramente profissional, como policial. "Se ele tinha interesse político era um problema pessoal dele", disparou.

Juliane Requena foi muito requisitada pela defesa do ex-vereador Carlos Andrade. Ela confirmou várias informações que havia repassado à polícia. Citou a visita constante de alguns acusados no setor e também conversas no pátio da prefeitura. Ela disse que Milton Andrade e o ex-vereador Arnaldinho compareciam algumas vezes no ao departamento onde ela trabalhava para acompanhar o andamento de processos a pedido de moradores. 

A testemunha Diogo Pupo Nogueira relatou apenas que a área de sua propriedade não tinha dívidas de IPTU. Alegou que pagou com atraso, com cheque, o IPTU de 2010 que custou 3 vezes mais caro que o habitual.

No começo dos trabalhos os advogados dos 26 acusados tentaram suspender a audiência mas o juiz negou alegando que todos tiveram acesso aos autos. No encerramento das atividades o magistrado agradeceu a empresa Made in Baureri contratada pela prefeitura de Taboão da Serra para cuidar do sistema de som durante o julgamento. 


Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.