Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Polícia

Polícia investiga abandono de autista em Centro de Reabilitação de Taboão

Por | 25/09/2012

centro1

DivulgaçãoCaso aconteceu no Centro de Realibilitação, Jardim Vitória

A Polícia Civil já instaurou inquérito para investigar de quem é a culpa por ter deixado o adolescente autista de 17 anos de idade trancado dentro do Centro de Reabilitação Social do Jardim Vitória na cidade de Taboão da Serra. Familiares dele prestam esclarecimentos na tarde desta terça, sobre a rotina do adolescente no Centro. Funcionários do local também foram intimados para prestar esclarecimentos sobre o caso e devem começar a serem ouvidos na próxima quarta-feira, dia 26.

O adolescente foi esquecido na última segunda-feira, dia 24, no Centro de Reabilitação. Ele ficou trancado e sozinho por quase cinco horas. O adolescente foi encontrado por volta da meia-noite e a família registrou a ocorrência na Delegacia da cidade como perigo para a vida ou saúde de outrem, com pena prevista de três meses a um ano de prisão.

Nas horas em que ficou sozinho no centro de reabilitação, o adolescente autista não tomou os remédios que costuma usar para tratamento. Momentos depois em que foi encontrado, ele estava mais calmo e agradeceu a Guardas Municipais, pelo resgate.

A família dele ligou para a Polícia Militar e para a GCM, após diversas tentativas de contato com alguém do centro. Dois guardas foram até o local e desconfiados de que o adolescente pudesse estar ainda lá dentro,  pularam o muro.

“Quando o colega ligou a lanterna e o menino percebeu aquele sinal de luz, ele imediatamente abriu a cortina, se apresentou, em estado assim quase de desespero”, disse Glycon José Bernardes Junior, inspetor da Guarda Civil.

De acordo com relato da irmã do autista, Ariane Alves Moreno, a reportagem da Globo uma van costumava levar o jovem para casa no fim da tarde, mas no dia funcionários do centro, entretanto, ligaram para a família informando que o veículo estava com problemas e que familiares teriam que buscar o adolescente. Quando eles chegaram ao centro, encontraram tudo fechado e entraram em desespero.

“Eu ligava para todo mundo da escola. Era inacessível. Eu não conseguia falar com ninguém”, disse Ariane Alves Moreno, irmã do adolescente.

A diretora do centro de reabilitação foi até a delegacia, mas saiu sem falar com a imprensa. Para polícia, ela disse que não foi trabalhar nesta segunda-feira porque estava com problemas pessoais.

Nota oficial

A Prefeitura de Taboão da Serra em nota oficial informou que A Secretaria de Assistência Social já instaurou sindicância interna para apurar o ocorrido no CENTRO DE REABILITAÇÃO SOCIAL, CRS, no Jardim Vitória no final da tarde de ontem quando um adolescente deixou de ser levado para casa pela perua de transporte.

Segundo apuração inicial realizada pela Secretaria, o menor MAM, de 17 anos, portador de autismo, estava sendo atendido pela unidade há apenas 3 dias. Quando as vans de transporte chegaram, o menor, que costumava aguardar sentado na recepção não se encontrava no local naquele momento. Como o MAM não era conhecido de todos os funcionários, sua ausência não foi notada durante o procedimento de saída dos atendidos pelo Centro. A sindicância vai apurar com rigor todos os detalhes do ocorrido e os culpados vão ser responsabilizados.

A Secretaria esclarece que este foi um fato pontual e que foge do padrão de excelência com que os deficientes são atendidos há mais de 4 anos nesta unidade. O CRS atende hoje 126 jovens e adultos em dois turnos, manhã e tarde, e foi criado pela Prefeitura com a finalidade de proporcionar reintegração dos deficientes de Taboão da Serra ao convívio social.

O CRS atende hoje 126 jovens e adultos em dois turnos, manhã e tarde, e foi criado pela Prefeitura com a finalidade de proporcionar reintegração dos deficientes de Taboão da Serra ao convívio social.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.