Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Educação

Instituto Asas Brancas corre o risco de fechar as portas em Taboão da Serra

Por | 5/04/2010

asas.jpg

Instituição enfrenta problemas financeiros, falta de estrutura e sofre com a permanência de jovens infratores

O Instituto Asas Brancas, localizado na rua Jasmins, 120, Parque Assunção, na cidade de Taboão da Serra, está passando por sérias dificuldades. A instituição de mais de 40 anos amarga problemas financeiros, atrasos de salários e até dificuldades para comprar comida e pagar contas de água e luz. A situação do local só não é mais crítica porque voluntários ajudam a manter a casa em funcionamento e pagam contas de luz e água.

“Nossas crianças jamais passaram fome e nunca ficaram sem remédios, (que o Estado deveria fornecer), temos sim falta de dinheiro para salários. Inclusive temos falta de monitoras e não podemos contratar por falta de verba”, afirma Dona Alice.

De acordo com a diretoria da instituição, os adolescentes infratores levados para lá pelo Conselho Tutelar estão ocasionando transtornos para as demais crianças. Além disso destroem equipamentos da casa e provocam situações de conflito até mesmo com os funcionários.

A Instituição, segundo a Presidente Alice Bernardes Castanho deveria acolher somente crianças e adolescentes vitimados, por maus tratados, abuso sexual e abandono. “Isso não está acontecendo, o Conselho Tutelar traz para a instituição menores infratores que estão dando muita dor de cabeça e acarretando prejuízo à casa”, afirmou.

Alice enfatiza que o Conselho Tutelar chega a levar ao local adolescentes infratores de madrugada atrapalhando o sono de crianças pequenas e bebês recém nascidos que moram na instituição.

A presidente do Asas Brancas contou a Reportagem do Jornal na Net que muitos infratores, trazem prejuízo ao Asas Brancas. “Meninos e meninas, adolescentes, batem nos menores, quebram janelas, camas, desrespeitam os coordenadores, roubam. Quero mostrar que esse não é um lugar para menores infratores, a Instituição foi criada em prol de crianças e adolescentes abandonados e que sofrem abuso sexual e maus tratos”, relata.

Segundo a Presidente da casa recentemente uma adolescente quebrou camas, portas, janelas e uma dessas janelas estava próxima ao berço de um bebe cardíaco “graças ao seu anjo guardião ele não foi ferido”, desabafou.

O Asas Brancas conta com dois núcleos, sendo a Casa Abrigo (núcleo I) e a Casa Transitória (núcleo III). O internato está dividido em refeitório, quarto para as meninas, crianças e adolescentes, sala para televisão, creche, escola estadual Asas Brancas, quadra e sala de aula para oferecer aos pequenos oficinas de cerâmica, violão, capoeira. Além de proporcionar uma maior interação entre eles, organizando roda de conversa, conto de histórias e diversos esportes.

Segundo a Coordenadora Pedagógica Antônia Rosa, que trabalha na instituição há dois anos, os alunos também participam de passeio cultural e recreativo, além de visitarem o museu e a pinacoteca.

Ao todo são 79 menores de idade, entre crianças e adolescentes. Sendo 28 na casa transitória e 51 no abrigo. Segundo colaboradores os jovens que moram na casa transitória freqüentemente não ficam nem três meses na residência, pois são transferidos para outras instituições. Elaine é voluntária e acredita que o pouco tempo que as crianças ficam na instituição não ajuda em nada para elas criarem familiaridade, aproximação. “Muitas ficam retraídas, pois sabem que daqui a três meses serão transferidas de local”, justifica.

A Presidente Alice Bernardes destacou mais alguns problemas que a instituição enfrenta, segundo ela, o governo federal e estadual não ajudam com nenhuma verba. A verba que recebemos de R$ 13.200,00 é de um convênio firmado com a prefeitura da cidade, mas esse dinheiro não consegue ajudar em nada que a casa necessita.

 “O dinheiro é usado somente no RH da instituição, como precisamos de mais dinheiro para manter as despesas, muitas vezes preciso colocar a mão no meu bolso, para manter a casa”, contou.

A falta de estrutura é evidente e Dona Alice, está se esforçando aos poucos para reformar o ambiente. Ela garante que o pouco dinheiro na instituição não irá facilitar a reforma na casa. “Preciso fazer a fossa, porque nessa rua não passa rede de esgoto, preciso consertar as janelas, colocar os vidros que foram quebrados, arrumar o piso (principalmente da creche) e o telhado”, justifica.

Ela desabafa que às vezes não é possível pagar a conta de água, pois muitas vezes está com o valor muito alto, mas a Sabesp não quer saber se não temos condições no momento para pagar, a empresa não têm piedade, corta a água, sem ao menos ouvir nossas queixas. “Se nas favelas o esbanjo é alto, não importa, é de graça. A instituição Asas Brancas que assiste as crianças em situação de risco do município e das favelas tem que pagar, embora não exista rede de esgoto adequada”, desabafa.

A Presidente da Instituição Alice Castanho esclarece que a situação financeira é agravada com os atrasos ocorridos nos envios de verbas municipal, estadual e federal, “razão de termos que levar a conscientização de todos que trabalhamos com o produto mais importante do universo, que são crianças e adolescentes, cuja responsabilidade não é somente de nossa diretoria, mas também da União, do Estado, do Município e de toda sociedade Taboanense”, afirmou.

Outros problemas preocupam os colaboradores, a falta de dinheiro também acarreta no cuidado com a saúde, muitos menores não podem tomar o medicamento que precisam, pois, segundo a Presidente a Instituição não tem condições de comprar os remédios necessários.

A ausência de Oftalmologista e Ortopedista na cidade, também atrapalha a vida dos colaboradores, que muitas vezes precisam trabalhar fora de seu horário de trabalho para acompanhar o menor ao médico em São Paulo.
“Se a criança machuca o pé, ou sofreu algum acidente com o olho, precisamos encaminha-los para um doutor na cidade de São Paulo, pois Taboão da Serra, está carente desses médicos”, afirma a presidente.

Mas com tantos problemas, a Instituição pode contar com diversos voluntários que trazem um pouco de conforto aos menores que necessitam de atenção e amizade. A Presidente Alice destaca a Viação Asa Gol (Associação dos pilotos da Gol) e a ATT (Associação dos Tripulantes da Tam) que ajudam da maneira que podem esses menores trazendo alegria e esperança para suas vidas.

Dona Alice conta que a Instituição atende bebês de meses, crianças e adolescentes até 17 anos de idade. Segundo ela, são diversos tipos de dificuldades que essas crianças enfrentam.

Para a coordenadora Antônia Rosa é muito gratificante saber que muitos desses jovens saem da casa com uma formação. “Aprenderam a adquirir mais educação, inteiração com a sociedade, e tudo isso vai acarretar em oportunidades de trabalho”, afirmou orgulhosa.

O jovem F. de 12 anos, contou a Reportagem que adora morar na casa, isso porque ele pode praticar esportes, estudar, passear e participar de Oficinas.

equipe.jpg

teto.jpg





13/12/2017

Aluno da EMEF Cecília Meireles vence concurso de soletração em inglês

No dia 30 de novembro, a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia de T

12/12/2017

Enem para presos e segunda aplicação começam hoje

Cerca de 32 mil pessoas privadas de liberdade farão hoje (12) e amanhã (13) as provas do Exame...

12/12/2017

Alunos da rede Estadual terão material pedagógico em aplicativo

A liberação do uso de telefone celular em sala de aula para fins pedagógicos foi autorizada em...

10/12/2017

Deputada Analice leva Projeto Guri para Embu das Artes

Um grupo de 150 crianças e adolescentes estão frequentando aulas de iniciação musical e de...

08/12/2017

500 alunos se formam pela Escola Municipal de Gastronomia

A qualificação profissional é o melhor caminho, em um momento de crise econômica nacional, para...

06/12/2017

Etec de Taboão e Embu recebem inscrições para vestibulinho até o dia 13 dezembro

Os estudantes interessados em prestar o vestibulinho da Etec de Embu das Artes e Taboão da Serra...

06/12/2017

Vestibular Fatec: inscrições terminam na quinta-feira (7)

Quem quiser participar do processo seletivo das Faculdades de Tecnologia (Fatecs) do Estado de...

06/12/2017

Alunos conquistaram 400 medalhas em Olimpíada Brasileira

Os alunos das EMEFs Profª Ester Cordeiro de Souza, Machado de Assis, Profª Dalva Barbosa Lima...

05/12/2017

Governo promete conscientização contra bullying nas escolas de Taboão

Há quase um mês pelo menos 70 alunas da rede pública estadual de ensino de Taboão da Serra vivem...

13/12/2017

Ney Santos reajusta bolsa da Frente de Trabalho de R$ 350 para R$ 1.000,00

A partir de janeiro de 2018 os integrantes da Frente de Trabalho de Embu das Artes vão receber...

13/12/2017

Alckmin libera R$ 923 mil a Itapecerica para ações de segurança no trânsito

Em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, o governador Geraldo Alckmin autorizou 36 municípios a...

13/12/2017

Estatuto da GCM foi apresentado e discutido na Câmara e votação foi marcada

O Plano de Cargo e Carreira da Guarda Civil Municipal de Taboão da Serra foi apresentado e...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.