Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Educação

Itapecerica aprova Moção de apoio a greve dos professores da rede estadual

Por | 24/03/2010

itape.jpg

Os vereadores de Itapecerica saíram em defesa dos professores da rede estadual da cidade

Os vereadores de Itapecerica saíram em defesa dos professores da rede estadual da cidade. Na sessão desta terça-feira, o vereador José Maria (PT),  apresentou  uma Moção de Apoio aos professores da rede estadual de ensino que estão em greve desde o dia 05 de março. Alguns educadores estavam presentes na sessão e demonstraram a satisfação pelo apoio, com uma salva de palmas.

A moção seria aprovada por unanimidade, mas o vereador José Martins alegou acreditar que greve é falta de diálogo.

Autor da moção, o vereador José Maria, disse que defende e apóia a luta da categoria que inclui também dos diretores e funcionários das escolas. “Se queremos uma cidade melhor, educação de qualidade para os nossos filhos, precisamos valorizar os professores”, defende.

O vereador lembra no documento que segundo os dados apurados, cerca de 55% dos professores aderiram  à greve da categoria no Estado de São Paulo. O balanço é da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo). “De acordo com o sindicato, a adesão chegou a 43% na Capital. A Secretaria do Estado da Educação calcula, no entanto, que menos de 1% da categoria aderiu ao movimento”, relata.

José Maria afirma que os professores decidiram pela continuidade da greve por tempo indeterminado na última assembléia.

As principais reivindicações da categoria são: reajuste salarial imediato de 34,3%; incorporação de todas as gratificações, extensiva aos aposentados; plano de carreira justo; garantia de emprego; contra as avaliações excludentes (provão dos ACTs/avaliação de mérito); revogação das leis 1093, 1097, 1041 (lei das faltas); concurso público de caráter classificatório; contra a municipalização do ensino, contra qualquer reforma que prejudique a educação, em todos os níveis.


 O Presidente da Câmara Amarildo Gonçalves (Chuvisco) contou que quando era pequeno sonhava se tornar professor. “A realidade de hoje em dia é outra, o salário desses profissionais estão cada dia mais achatados”, salienta.

Os vereadores Comendador Lombardi e José de Morais também se pronunciaram em apoio à paralisação.

Após os vereadores declararem as suas opiniões, o professor e manifestante Erlon interrompeu a sessão por cerca de cinco minutos, com um protesto em frente a Câmara na praça Largo da Matriz, ao som do microfone ele declarou estar satisfeito com o apoio dos vereadores da cidade, mas que não entende porque José Martins está contrário a greve.

“Se ele (José Martins) precisasse colocar o seu filho na escola estadual será que ele estaria contra a nossa categoria”, perguntou. A sessão voltou ao normal após pedido do presidente da casa feito pela janela da câmara.


Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.