Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Polícia

PMs acusados de agressão são ouvidos em Itapecerica

Por | 12/04/2012

farmacia

Karen SantiagoVigia da farmácia acusa policiais de agressão, na quarta-feira, dia 4

O que seria uma abordagem policial rotineira, apenas para conter e revistar uma pessoa suspeita transformou-se em agressão, na noite de quarta-feira, dia 04, na Farmácia Droga Délia, esquina com avenida Eduardo Roberto Daher e rua São João em Itapecerica da Serra. Dois soldados da polícia militar, José e Ronieri, são acusados de agredir o vigia do local, Josemiro de Oliveira Júnior.

Imagens gravadas por câmeras de segurança da farmácia estão sendo usadas para avaliar se houve abuso na conduta dos dois PMs. Eles já foram ouvidos na Corregedoria da corporação, que investiga o caso e na Delegacia central. A vítima foi intimada a prestar depoimentos na noite desta quinta.

As imagens mostram o rapaz parado em frente à farmácia, por volta das 23h. Logo em seguida os dois PMs, param a base comunitária, descem e abordam o rapaz de forma violenta. Ambos desferiram joelhadas, cotoveladas e até um chute contra Josemiro dentro da farmácia onde ele trabalha, há oito anos.

far1

Imagens foram gravadas pelas câmeras internas


De acordo com uma testemunha, que concordou em falar com a reportagem do Jornal na Net, mas sem divulgar sua identidade, o vigia apanhou sem motivo aparente. Ele teria dito aos PMs que trabalha no local, mas mesmo assim, foi vítima deles.

“Eles pediram para ele tirar a camisa, desceram, puxaram ele pela calça, jogaram no chão e começaram a agredi-lo como mostram as imagens. Josemiro disse que eles não podiam fazer isso, mas eles de forma violenta, continuaram espancando o rapaz”, contou.

De acordo com um dos policiais, não houve agressão, somente uma tentativa de conter Josemiro e algemá-lo, por desacato a autoridade, uma vez que a vítima teria xingado os PMs e não queria ser algemado.

Josemiro foi submetido a exame de corpo delito e o caso foi registrado no Distrito Policial da cidade como Desacato a Autoridade.

A reportagem esclarece que não houve em qualquer momento disparo do alarme do Banco Itaú, como informado anteriormente. E apesar, de informações obtidas, de que o vigia, teria casos anteriores de brigas com PMs, não há registro.



Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.