Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Polícia

Mulher abandona bebê no banheiro da Santa Terezinha em Taboão

Por Edimon Teixeira | 8/04/2012

igreja_bebe1

Edimon TeixeiraO bebê foi abandonado na Igreja e logo após mulher fugiu

Uma mulher ainda não identificada abandonou na noite desta quinta-feira (5), no fraldário do banheiro da igreja Santuário Diocesano Santa Terezinha, no centro de Taboão da Serra, um bebê recém-nascido e fugiu em seguida, de acordo com agentes da Polícia Militar, que atenderam à solicitação.

Os policiais acreditam que a mulher tenha se aproveitado do intenso movimento de populares no local para deixar o bebê. Como parte das comemorações da Semana Santa, a igreja promovia a missa “A Ceia do Senhor” e o templo acomodava centenas de fieis.

Funcionários do local não souberam informar características da suposta mulher, nem para qual direção teria ido. “Não dava pra saber ao certo, pois havia muita gente. A igreja estava superlotada”, disse uma funcionária da lanchonete do templo com quem a reportagem falou.

Não há informações sobre o sexo e peso do bebê, mas é bom o estado de saúde, pois este  passou por atendimento médico, segundo informações apuradas. Ele foi encaminhado na sequência  ao Conselho Tutelar do município.  A reportagem tentou durante a manhã deste sábado falar com o conselheiro de plantão, mas não obteve retorno.

A reportagem esteve na igreja Santa Terezinha, e, em contato com a secretaria, foi informada que a Pastoral da Criança só se pronunciará sobre o assunto nesta segunda-feira (09/04). Monsenhor Agnaldo de Carvalho, reitor do Santuário não estava presente. A ocorrência foi registrada no 1º Distrito Policial da cidade que investiga o caso.

Lata de lixo

O caso do bebê recém-nascido encontrado na noite desta quinta feira remete a ocorrência parecida, registrada há cerca de cinco anos, em outubro de 2007, quando uma menina recém-nascida fora encontrada em um saco, dentro de uma lata de lixo em frente ao Pronto-Socorro e Maternidade Antena. O bebê, ainda envolto na placenta, foi achado graças a um segurança do hospital, que ouviu o choro, abriu a lixeira e resgatou o bebê.


À época, os médicos que avaliaram o bebê afirmaram que ele tinha nascido prematuro, com apenas sete meses de gestação. Batizada de Ângela pela equipe do hospital porque 2 de outubro é dia dos anjos da guarda, a recém-nascida não teve a mesma sorte do bebê encontrado esta semana. Ela morreu no dia 26 do mesmo mês, no Hospital Geral de Pirajussara (HGP), em função de uma infecção generalizada adquirida.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.