Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

Supremo decide hoje se Ficha Limpa vale este ano

Por Karen Santiago | 15/02/2012

ficha1

Divulgação - José Cruz/ABrSupremo Tribunal Federal retoma o julgamento da Lei da Ficha Limpa 

O Supremo Tribunal Federal (STF) pode aprovar a aplicação da Ficha Limpa já nas eleições deste ano. O motivo, a que tudo indica, é o voto favorável da ministra Rosa Weber, em julgamento nesta quarta-feira, dia 15, que foi interrompido e será retomado amanhã. Se a Lei for aprovada, os políticos de Taboão, Itapecerica da Serra, região e de todo o Brasil que não se enquadrarem na ficha limpa, não vão poder se candidatar, uma vez, que se tornaram inelegíveis.

O resultado da votação vai interferir diretamente a política regional e promete deixar muitos candidatos a prefeito e vereadores de fora da campanha. Vários políticos podem ficar de fora do cenário por um processo de participação em congressos.

O julgamento foi interrompido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) com placar de 4 votos a 1 a favor do texto que estabelece casos em que um candidato torna-se inelegível. A votação foi suspensa depois do voto da ministra Rosa Weber, a única que ainda não havia se pronunciado sobre a lei na Corte.

Julgamento

Rosa Weber afirmou em seu voto que não há empecilho para que um candidato se torne inelegível antes de ser condenado de forma definitiva – exatamente conforme o mecanismo prevê. O julgamento deve prosseguir nesta quinta.

Antes desta sessão, já tinham votado a favor da lei o ministro-relator Luiz Fux e Joaquim Barbosa. Weber e Cármen Lúcia referendaram o mecanismo. José Antonio Dias Toffoli já se manifestou contra.

A expectativa é que a maioria pró-Ficha Limpa seja completada com os votos do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski, e do vice-presidente do Supremo, Carlos Ayres Britto. O presidente do Supremo, Cezar Peluso, Gilmar Mendes e Celso de Mello já criticaram o mecanismo nesta tarde, indicando um possível voto contrário.

A principal discussão se dá em torno da possibilidade de barrar candidaturas após decisões de órgãos colegiados da Justiça ou de entidades federais de classe. Para Toffoli, isso anularia a presunção de inocência até o julgamento final dos candidatos barrados. Os outros quatro ministros que votaram discordam desta posição.

“A lei da Ficha Limpa foi gestada no ventre moralizante da sociedade que está agora exigir dos poderes instituídos um basta”, afirmou Weber. “Inelegibilidade não é pena. E aqui o foco é a proteção da legitimidade das eleições e da soberania popular.” Por ela não ter se pronunciado sobre o assunto até esta tarde, o voto dela era o mais esperado.

Entre os que apoiam a lei, há discordâncias sobre a partir de quando a inelegibilidade atingiria os candidatos condenados em órgãos colegiados ou expulsos de entidades de classe, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), por infrações éticas.

Histórico


No início do ano passado, o STF definiu, por 6 votos a 5, que a lei da Ficha Limpa não era aplicável às eleições de 2010, por ter sido aprovada menos de um ano antes da votação – o que é vedado pela Constituição Federal.

Na ocasião, votaram pela validade já nas eleições passadas os seguintes ministros: Cármen Lúcia, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, Joaquim Barbosa, Carlos Ayres Britto e Ellen Gracie, que pediu aposentadoria no ano passado e deixou a Corte, sendo substituída por Weber.

A maioria vencedora naquele julgamento, entretanto, foi composta por Fux, o então relator Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Marco Aurélio de Mello, Celso de Mello e o presidente da Corte, Cezar Peluso. Agora Fux é o relator que defende a aplicação da lei nas eleições deste ano.

Com informações extraídas do site do Uol

Claudio Marcio Araujo da Gama

Edifício Presidente: Assembleia introduz conceito de ficha limpa em regulamento Os cotistas do Condomínio Edifício Presidente introduzem o conceito de ficha limpa no Regulamento Interno- RI aprovado em Assembleia Geral Extra-ordinária realizada no último 28 de outubro de 2010. O novo RI prevê impedimento de candidatura a síndico de ex-síndicos que tiveram contas reprovadas. http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/edificio-presidente-assembleia-introduz-conceito-de-ficha-limpa-em-regulamento/52154/

ANTONIO CARLOS SOUSA SANTOS

PARABÉNS A MINISTRA EXCELENTÍSSIMA ROSA WEBER PARABÉNS A SUA ASSESSORA PATRICIA ANDRADE NEVES/ TRABALHA COM A MINISTRA ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA.

telmira

espero que não acaba em pizza,pois o povo esta cançado de ser feito de bobo,e esta muito sem crediabilidade

clarintino

passou da hora ficha limpa.

Robson de Aragão Nunes

Ledo engano, agora sim que as raposas velhas irão reinar. Já que usarão de artifícios sórdidos para retirar das disputas aqueles bem intencionados e que tem pouca influência no judiciário. Que pena que as leis mudam e a sociedade continua a mesma.

Anônimo

Adeus paulo félix, olívio nóbrega, arlete silva,paulo silas, walter paulo, elói e fernando fernandes (condenação do ovo de pascoa).

ze carlos

Além de impedir estes pilantras de ser candidatos a lei deveria determinar que eles devolvessem imediatamente o dinheiro surrupiado dos cofres publicos. O que adianta não ser candidato e ficar com o bolso cheio? Isto torna-se um premio para os salafrarios.

kiko-saporito

esta chegando a hora das raposas velhas dizerem adeus a vida politica,viva a democracia, salve a lei ficha limpa!!!

sueli mendes

O Supremo precisa votar essa Lei de forma q/ venha a punir políticos corruptos q/deram prejuízo ao erário público.Isso sim é uma questão de Justiça,fazendo valer o nosso Direoito

21/07/2017

Novos funcionários efetivos assumem cargos na Câmara Municipal

A Câmara Municipal de Taboão da Serra deu posse nesta sexta-feira, dia 21, para os novos...

21/07/2017

Vereador Eduardo Nóbrega defende aumento de efetivo da PM em Taboão da Serra

A questão da segurança irá voltar a pauta da Câmara Municipal de Taboão da Serra. O vereador...

14/07/2017

Câmara de Taboão permanece com atendimento ao público durante o recesso

A Câmara Municipal de Taboão da Serra entrou em recesso parlamentar no início de julho e neste...

12/07/2017

MPT pede veto e não descarta entrar com ação contra reforma trabalhista

O Ministério Público do Trabalho (MPT) encaminhou ao presidente Michel Temer, nesta quarta-feira...

07/07/2017

Deputada Analice assume presidência da Assembleia e recebe delegação da Baviera

A deputada estadual Analice Fernandes assumiu interinamente a presidência da Assembleia...

07/07/2017

Assembleia aprova proposta de Alckmin que reduz valores de multa e juros de ICM

Na tarde desta quarta-feira, 05 de julho, a Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou o...

05/07/2017

Tribunal de Contas reunirá prefeitos de Taboão, Embu, Itapecerica e região

Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP) realiza em Suzano, na próxima quinta-feira...

05/07/2017

Assembleia aprova proposta de Alckmin que reduz valores de multa e juros de ICMS

Na tarde desta quarta-feira, 5 de julho, a Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou o Projeto...

04/07/2017

Vereadora Érica Franquini comemora o sucesso da 1ª audiência pública

Na quinta-feira, 29, a comissão de Segurança da Câmara Municipal de Taboão da Serra realizou a...

04/07/2017

Prefeito Jorge Costa fala sobre projetos de Itapecerica

Reeleito pela quarta vez para administrar a prefeitura de Itapecerica da Serra, o prefeito Jorge...

21/07/2017

Prefeitura de Embu traz novo modelo de gestão para alimentação escolar

21/07/2017

Itapecerica tem Semana do Empreendedorismo em Ação entre 31/07 e 03/08

A Prefeitura de Itapecerica da Serra e o Sebrae-SP realizam entre 31 de julho a 3 de agosto a...

21/07/2017

Atenção para o licenciamento: julho é o mês de veículos com placas final 4

Os proprietários de veículos com placas final 4 já podem fazer o licenciamento. A data limite...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.