Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Meio Ambiente

Sabesp vai dar desconto na conta em locais atingidos pela falta de água

Por Outro autor | 12/02/2010

agua2.jpg

Moradores de Taboão resolveram o problema pegando água na biquinha do Parque Pinheiros

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) promete compensar todos os mais de 750 mil consumidores das cidades de São Paulo, Itapecerica da Serra, Embu, Embu-Guaçu e Cotia que ficaram com as torneiras secas por mais de três dias por causa do rompimento de uma adutora na zona sul da capital.

A decisão da Companhia atende a reivindicação dos usuários das regiões afetadas que a todo instante relatavam a insatisfação de pagar as contas integralmente, já que não tinham água.

Em Taboão da Serra ainda falta água no bairro São Judas e algumas ruas da Vila Indiana. Os moradores contam que já estão sem água a quase uma semana. Em Embu das Artes alguns locais ainda estão sofrendo com a falta de água e os moradores estão desesperados com a situação.

Os clientes terão uma redução no valor da conta mensal correspondente à tarifa mínima cobrada por 10 metros cúbicos por mês  equivalente a 10 mil litros de água. Esse valor, segundo a companhia, varia de acordo com o tipo de tarifa aplicada  residencial social, normal, social, comercial ou industrial. As contas com os descontos devem chegar aos consumidores com o valor correto a partir do dia 4.

A companhia calcula que cerca de 300 mil consumidores com medidores individuais terão conta zero, pois consumiram no período até 10 metros cúbicos. Os demais 450 mil moradores afetados pelo problema de abastecimento deverão pagar apenas a diferença entre o oferecido como desconto e o que excederam no consumo. Ou seja, se usarem, por exemplo, 40 mil metros cúbicos, terão o valor equivalente a 10 mil metros cúbicos descontados do total de suas contas.

Um consumidor residencial normal, conectado à rede de água e esgoto, por exemplo, terá uma compensação de R$ 27,28. No caso de um consumo de 15 metros cúbicos, a conta seria de R$ 48,58. Com a redução, a cobrança passará a ser de R$ 21,30, ou seja, 56% a menos.

Nos casos de condomínios residenciais que tenham apenas um medidor, o cálculo será feito considerando-se todas as unidades habitacionais existentes. Por exemplo: um prédio de apartamentos terá a compensação referente à tarifa mínima para cada um deles subtraída da conta total. Assim, um edifício de cem unidades com conta de 1 mil metros cúbicos não pagará nada, já que o consumo de cada unidade seria 10 metros cúbicos, segundo os técnicos da Sabesp.

Receberão o benefício os consumidores residentes em regiões afetadas parcial ou integralmente em São Paulo (Butantã, Pirajuçara, Vila Sônia, Morumbi e Jardim São Luís), Cotia (Granja Viana) e bairros de Taboão da Serra, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra e Embu.

Com informações do Estadão

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.