Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cultura

Embu faz exposição com fotografias da Ditadura

Por Ana Paula Timóteo | 6/12/2011

exposicao3

Ana Paula TimóteoPúblico confere os painéis fotográficos na exposição

No último dia 3, Embu das Artes inaugurou uma importante exposição fotográfica, instalada no Centro Cultural Mestre Assis de Embu, "Direito à memória e a verdade - Ditadura no Brasil - 1964-1985". Uma parceria da Secretaria de Diretos Humanos da Presidência da República com a Secretaria de Cultura de Embu das Artes. 

Antes de conferir o material fotográfico, o público presente foi agraciado por declamação de poesias, músicas, e principalmente tocados pelos fortes relatos de quem viveu esse período que manchou de sangue a história do Brasil. 

A mesa de debate contou com a presença do secretário municipal da cultura, Paulo Oliveira, o historiador embuense e coordenador de documentação e apoio às lutas populares, Márcio Amendôla, Antonio Campoamor do Nascimento, militante da Aliança Libertadora Nacional (ALN), Luiz Carlos Fabri, da Comissão de Paz da Arquidiocese de São Paulo, Carlos Gilberto Pereira, do grupo Tortura nunca mais, Stanislawn Szermeta coordenador Instituto Zequinha Barreto, e a coordenadora da atenção à saúde, Laudelina Maria Carneiro.

Dentre os vários pronunciamentos, eles alertaram para a importância da criação da Comissão Nacional da Verdade para esclarecer violações dos direitos humanos ocorridos de 1946 a 1988, que inclui o período da Ditadura Militar no Brasil. "A ideia de punir quem pensava diferente foi inaceitável", disse Márcio Amêndola. 

Acima de tudo, eles reafirmaram a necessidade de punir os torturadores, já que o crime de tortura é imprescritível." É preciso recursos, documentos e dinheiro para punir os culpados! Nossas famílias foram presas, humilhadas e torturadas. Casas foram invadidas na calada da noite. É preciso passar o passado a limpo para preservar a verdade", falou Stanislawn Szermeta. 

Segundo Carlos Gilberto, a intenção não é tratar os torturadores da mesma forma covarde e cruel. "Não queremos violência, nossa intenção é fazer a sociedade tomar conhecimento dessas pessoas e que a justiça seja feita", relatou Pereira.

As personalidades presentes no debate, foram unanimes em dizer que a Comissão Nacional da Verdade só terá sucesso se conseguir fazer uma mobilização civil, é preciso integrar toda a sociedade em prol da justiça.

A exposição fotográfica "Direito à memória e a verdade - Ditadura no Brasil - 1964-1985" ficará instalada no Centro Cultural Mestre Assis de Embu até o dia 18 de dezembro

Endereço: Centro Cultural Mestre Assis (Largo 21 de Abril, 29), Centro de Embu das Artes.
Horários: Diariamente, das 9h às 18h (Entrada gratuita).

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.