Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cotidiano

HSBC usa violência contra direito de greve

Por Outro autor | 14/10/2011

fila1

Arquivo Jornal na NetGreve dos bancários continua e causa grandes filas na região

Numa atitude de total desrespeito ao direito de greve e à organização pacífica dos trabalhadores, o HSBC usou de violência e até mesmo força policial para obrigar a entrada dos bancários no prédio administrativo do Casp.

Os cerca de mil bancários que trabalham na concentração, onde funciona a área administrativa da instituição, aderiram à greve e ficaram do lado de fora do prédio durante quase toda a manhã. Mas por volta das 11h, advogados e seguranças do banco, sem qualquer decisão judicial e auxiliados por policiais militares, retiraram as faixas do Sindicato afixadas no prédio e chegaram a levar o diretor da entidade e funcionário do HSBC Valdir Fernandes, o Tafarel, para a delegacia.

“Pelo menos quatro viaturas da PM foram ao local e os policiais retiraram as faixas. Ou seja, ao invés de estar nas ruas garantindo a segurança da população, a Polícia Militar do Estado foi usada para arrancar faixas de uma propriedade privada”, contou Tafarel, que chegou a sofrer ameaça de detenção, mas foi liberado.

Segundo Tafarel, após a truculência do banco, os trabalhadores foram pressionados a entrar no prédio. “Foi uma total falta de respeito”, comentou indignado.

A diretora do Sindicato e também funcionária do HSBC Liliane Fiuza contou que os bancários, que estavam do lado de fora, eram constantemente pressionados pelos gestores para que retornassem ao trabalho. “Eles (gestores) ligavam para os celulares dos bancários fazendo ameaças caso eles não entrassem no Casp. Os bancários não queriam entrar, mas estavam sendo pressionados.”

A dirigente ressaltou que a intransigência e prática antissindical do HSBC não surpreendem quem já está acostumado a lidar com o banco. “O HSBC mais uma vez demonstrou sua atitude intransigente diante da organização dos trabalhadores. Esse não é um caso isolado.”

Nova proposta tem aumento real, valorização do piso e da PLR

Bancos também não descontarão dias parados que deverão ser compensados até 15 de dezembro
São Paulo - No dia em que a greve dos bancários atingiu o maior pico de paralisação do movimento nos últimos anos – mais de 42 mil trabalhadores – a federação dos bancos apresentou nova proposta ao Comando Nacional da categoria.

Aumento real – Em negociação que tomou todo essa sexta-feira 14, os banqueiros ofereceram reajuste salarial de 9%, que representa aumento real de 1,5%, válido também para demais verbas, como tíquetes e auxílios.

PLR maior – A regra básica da Participação nos Lucros e Resultados será de 90% do salário mais valor fixo de R$ 1.400. Assim, essa parte fixa, que em 2010 foi de R$ 1.100,80, será reajustada em 27,18%.

A regra determina, ainda, que devem ser distribuídos no mínimo 5% lucro líquido. Se isso não acontecer, os valores de PLR devem ser aumentados até chegar a 2,2 salários com teto de R$ 17.220,04.

Aumento no valor adicional – Pela proposta, o teto do valor adicional da PLR -que distribui 2% do lucro líquido – passaria de R$ 2.400 para R$ 2.800, o que significa aumento de 16,66% em relação ao que foi pago em 2010.

Piso – O reajuste proposto para o piso foi de 12%, aumento real de 4,30%. No caso do escriturário, passaria de R$ 1.250 para R$ 1.400.

Dias parados – O Comando Nacional dos Bancários também garantiu, junto à federação dos bancos, que não serão descontados dos trabalhadores os dias em greve. Pela proposta da Fenaban, haverá compensação desses dias no máximo até 15 de dezembro.

22/02/2018

Moradores do Saint Moritz reclamam do aumento do IPTU

Os moradores do Jardim Saint Moritz, em Taboão da Serra, reclamam do aumento do IPTU 2018 no...

19/02/2018

Renato Oliveira é indiciado por atentado contra Binho e exonerado da prefeitura

A Polícia Civil indiciou na sexta-feira, 16, o subsecretário de Gestão Tecnológica e Comunicação...

18/02/2018

Agências bancárias da região fecham nesta segunda em adesão a greve nacional

Os bancos em Taboão da Serra, Embu e Itapecerica não irão abrir nesta segunda-feira (19) como...

17/02/2018

Embu das Artes celebra 59 anos de emancipação neste domingo

A cidade de Embu das Artes comemora no próximo domingo (18), 59 anos de emancipação...

15/02/2018

Itapecerica tem mais de 1.080 crianças realizando trabalho infantil, diz IBGE

Estudos recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontaram que no...

07/02/2018

Moradores do Jardim São Marcos reclamam da frequente queda de energia

Moradores do Jardim São Marcos em Embu das Artes, estão reclamando das constantes quedas de...

09/01/2018

Moradores do Parque Adélia voltam a ficar ilhados após chuva em Itapecerica

Moradores do Parque Santa Adélia já não aguentam mais ficarem ilhados toda vez que chove....

08/01/2018

Corpo de Bombeiros orienta como prevenir acidentes domésticos nas férias

O tão esperado período de férias chegou. Junto, uma notícia preocupante, especialmente para os...

13/12/2017

Taboão da Serra celebra Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

O Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (CMPD), ligado à Secretaria de Assistência Social...

11/12/2017

Idosa de 76 anos desapareceu neste domingo em Taboão da Serra

Dona Ana Maria Barbosa, 76 anos,desapareceu quando estava indo para casa onde mora com a irmã e...

22/02/2018

Inspeção recupera mais de R$ 4 bi de recursos do FGTS em 2017

A fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) recuperou, em 2017, R$ 4,2 bilhões em...

22/02/2018

País registra 164 mortes por febre amarela desde julho

Entre 1º julho de 2017 e 20 de fevereiro deste ano, foram confirmados 545 casos de febre amarela...

22/02/2018

Jorge Costa cumpre com o dissídio dos servidores de Itapecerica da Serra

O prefeito Jorge Costa convocou nesta quarta-feira (21), uma reunião no Ginásio Municipal de...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.