Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Saúde

Receitas médicas serão mais legíveis em Itapecerica

Por | 7/01/2010

Ze_maria.jpg

Projeto é de autoria do professor José Maria

Se você já foi a uma consulta médica e precisou pedir ao doutor para ler o que ele receitou, ou se já levou a receita para o farmacêutico, sem ao menos saber o que foi receitado, as suas queixas foram ouvidas. Os vereadores de Itapecerica da Serra aprovaram na última sessão da Câmara de 2009 o projeto de lei n° 782/09 que prevê melhorar a letra do médico na receita.

O projeto de lei que foi aprovado por unanimidade é de autoria do vereador José Maria (PT) e garante ao paciente o direito de entender a letra do médico.

 Zé Maria defendeu o projeto e propôs avanços futuros, como receitas redigidas no computador, para que o problema de não entender a letra do médico seja banido para sempre da vida dos pacientes.

Durante a discussão do projeto o vereador Clóvis Pinto (PMDB) afirmou que os médicos têm por obrigação transcrever o que receita diz para o paciente. Ele lembra que o código de ética médica já obriga os profissionais da área a redigirem qualquer informação de forma legível.

Em contra partida o representante da classe médica na Câmara Municipal, Dr. José Martins (PMDB) também apoio o projeto de lei, mas fez um alerta “Quanto mais leis nós temos é um sinal de que a sociedade não anda bem e alguma coisa está errada”.

A moradora de Itapecerica, Marilia Juvenalia, várias vezes já pediu ao seu médico para escrever com uma letra mais legível, isso porque ela compra os remédios receitados pelo telefone. “Antes de sair do consultório pergunto ao médico o que ele escreveu e anoto em outro papel, porque se eu não fizer isso não consigo comprar os remédios”.

Ela explica que já recorreu ao farmacêutico e se mostra satisfeita com o projeto de lei.








Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.