Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Meio Ambiente

Quase 400 assinam documento para salvar Parque das Hortênsias em Taboão da Serra

Por Sandra Pereira | 5/09/2011

parque

Sandra PereiraDomingo de sol e calor levou centenas de pessoas ao Parque das Hortênsias em Taboão da Serra Galeria de Fotos

Como resultado prático da primeira mobilização online da história de Taboão da Serra algumas lideranças da cidade passaram o domingo no Parque das Hortênsias conversando com visitantes, ouvindo depoimentos e recolhendo assinaturas para o abaixo assinado  criado com a finalidade de protestar contra a situação de abandono do Zôo de Taboão da Serra. 

A mobilização “bombou” na internet, mas a maioria dos manifestantes online não compareceu ao parque neste domingo, 4. Mesmo assim foram coletadas 380 assinaturas no local. No próximo final da semana a ação irá se repetir. A meta é colher assinaturas até sensibilizar o poder público. Elas serão enviadas à prefeitura, Câmara e Delegacia do Meio Ambiente.

A maior reclamação dos visitantes em geral é contra as condições do parque onde o entulho, sujeira e a falta de manutenção de alguns espaços predominam. Há quem critique também o tratamento dispensado aos animais, fato que a diretoria e os responsáveis técnicos pelos animais rechaçam. 

Eles dizem que a idade avançada dos bichinhos e as características do ambiente contribuem para essa “falsa impressão”. Em relação aos felinos, especialmente, argumentam que os animais têm hábitos noturnos e durante o dia ficam sonolentos e com a aparência de cansaço.

Claunir Lins Rodrigues, Daniel Paschoa, Soraya Borges, Newton Silva Lúcio, Emiliana Benotti, e outros manifestantes da web estiveram no local. 

À tarde ensolarada levou centenas de visitantes ao parque. O fim da cobrança da taxa simbólica de entrada fez crescer as visitas, segundo a diretoria. Em todas as partes, alas e alamedas olhares atentos, curiosos e cheios de admiração observavam os animais nos seus lares artificiais. Em frente as “casas” dos leões e tigres dezenas de pessoas acompanhavam atentas os seus movimentos.   

O diretor do parque, Ricardo Andrade e o biólogo, Rodrigo Xavier reconhecem que o local necessita de uma série de benfeitorias negam os maus tratos aos animais e acusam que o parque sofre com a ação de vândalos, que causaram vários buracos nos muros que cercam a área.

“Apesar de todos os problemas a nossa prioridade são os animais. O que as pessoas estão chamando de abandono [os muros próximos aos felinos] é exatamente trabalho já que os muros estão sendo reconstruídos. Se comparar o parque agora com o que era em 2005 fica evidente as melhorias”, dispara Ricardo Andrade. “Os animais aqui recebem bom tratamento a despeito das condições estruturais”, completa o biólogo.


Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.