Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Transporte e Trânsito

Zona Azul gera polêmica antes mesmo de funcionar em Taboão

Por Sandra Pereira | 27/07/2011

zona_azul

Sandra PereiraCobrança em Taboão ainda não começou mas críticas a Zona Azul já são muitas

A Zona Azul de Taboão só começa a funcionar oficialmente na próxima segunda-feira (1), mas já é o assunto mais comentado da cidade. A polêmica em torno do assunto já é grande e promete ficar ainda maior. Já há, inclusive, mobilização de setores e categorias sendo organizadas para protestar contra a cobrança do estacionamento rotativo em várias ruas da região central, Parque Pinheiros e Pirajussara. A Câmara municipal deve ser um dos primeiros palcos da mobilização contra a Zona Azul. Os vereadores voltam ao trabalho na terça (2) um dia após o inicio da cobrança e já podem esperar a casa cheia.

No dia 28 de junho os vereadores de Taboão aprovaram a revogação da chamada Área Azul. Mesmo assim as empresas do consórcio Cellopark e Autoparque do Brasil continuaram os trabalhos de implantação dos parquímetros. Ao todo a cidade recebeu 15 equipamentos, ao menos 3 deles sofreram pichações. A prefeitura alega que não pode cancelar o contrato já que seria obrigada a pagar multa.


Entre os  pontos mais criticados da implantação da Zona Azul de Taboão da Serra estão o custo do nova taxa, R$ 1 por cada 30 minutos, o percentual de apenas 6% que a será destinado a prefeitura, enquanto as empresas vão ficar com 94% do valor estimado de arrecadação. Outra crítica contumaz é ao fato da cobrança não gerar novos empregos na cidade, uma vez que os parquímetros dispensam a contratação de operadores. Além disso, o fato do equipamento ser totalmente manuseado pelos usuários pode gerar dúvidas.

Os funcionários das escolas, Fórum e da Câmara municipal já prevêem que vão ter dificuldades para estacionar os seus veículos depois da implantação da cobrança. Eles alegam que não terão como pagar a Zona Azul diariamente, além disso, reclamam do fato de ter que mudar o local de estacionamento a cada duas horas, período de permanência máxima em cada vaga. 

A prefeitura estima que a cobrança do estacionamento rotativo deve render em torno de R$ 2 milhões. Mas o montante será facilmente superado se a taxa de ocupação das vagas for elevada. A Zona Azul vai funcionar de segunda à sexta-feira, das 08 às 18 horas e aos sábados, das 08 às 17 horas.  Serão no máximo 10 horas de utilização por dia do serviço em até 26 dias no mês, tirando somente os domingos.

A gerência  de negócios do Consórcio das empresas  Cellopark e Autoparque do Brasil afirma que a empresa ainda não foi informada oficialmente sobre o veto contra a implantação da cobrança aprovado pela Câmara municipal. O consórcio é responsável por todos os custos de implantação e manutenção dos equipamentos.

Segundo o secretário de Administração, Marcelo Rioto, cada um dos 15 parquímetros instalados na cidade custa em torno de R$ 60 mil. O secretário garantiu que a cobrança da Zona Azul só acontecerá nas ruas previstas no decreto publicado no Diário Oficial da cidade. De acordo com ele a prefeitura não pretende acatar o veto dos vereadores, em razão da multa contratual.

O secretário defende que a cobrança da Zona Azul vai aumentar a oferta de vagas na região central. Vários comerciantes da região compartilham da opinião do secretário. Graças a cobrança do imposto alguns estacionamentos nas imediações da câmara de Taboão da Serra já estão se organizando na oferta de vagas para mensalistas.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.