Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Transporte e Trânsito

Transporte municipal de Embu piorou, dizem vereadores

Por Outro autor | 3/04/2011

trans1

Adilson Oliveira-CMETEVans de Embu, alvo de reclamações de passageiros e parlamentares

O vereador Silvino Bomfim (PT) apresentou na sessão da quarta-feira, dia 30, um requerimento (número 02/2011) exigindo explicações do consórcio Arcav-Coopercav sobre a queda da qualidade dos serviços do transporte público municipal de Embu, verificado principalmente nos primeiros meses deste ano. O presidente da Câmara exigiu ainda informações sobre os subsídios públicos que o sistema recebe, além da base legal para o recente aumento da tarifa.

Em justificativa, Silvino lembrou que o transporte público municipal é uma concessão da prefeitura a terceiros, e que a Arcav-Coopercav recebeu essa importante tarefa de transportar com conforto e segurança os moradores de Embu.

No início da concessão, os serviços melhoraram significativamente, criando-se novas linhas e sendo atingido praticamente todo o território municipal. Houve também padronização da frota com micro-ônibus novos, em lugar das antigas vans e peruas, e a prefeitura passou a subsidiar (dar dinheiro público) parte da tarifa, repassando os valores diretamente à operadora do sistema.

Porém, alerta Silvino Bomfim, “a qualidade do transporte público municipal vem caindo muito nos últimos meses, segundo vários relatos de usuários, que chegam a esperar mais de 30 minutos em pontos de vários bairros de Embu, á espera dos ônibus, além de terem de suportar a constante superlotação destes veículos, em desconformidade com as obrigações contratuais, apesar do recente aumento da tarifa”.

O vereador Luiz Calderoni (PMDB) apoiou o requerimento do colega, alegando que “com tudo isso, ao invés de melhorar, o transporte piorou, com ônibus danificados, com sujeira, bancos quebrados”. Para o vereador, a tarifa atual “é muito cara em relação à do intermunicipal, já que os nossos percursos duram só 20, 30 minutos”. O vereador Gilvan da Saúde (PPS) defendeu inclusive a convocação do representante da Acav para ir à Câmara se explicar.

O vereador José Carlos Proença (PSDB) disse que vem solicitando melhorias no transporte municipal há tempos, e que outras reuniões já foram realizadas sobre o assunto. Também reclamou da “falta de educação e preparo de motoristas e cobradores”, também denunciando que algumas linhas não vem cumprindo os trajetos, em prejuízo da população. Ele defendeu a convocação do secretário de Trânsito e Transportes, Francisco Carlos Pereira, o Cal, para prestar esclarecimentos na Câmara.

O vereador Júlio Campanha (PTB) afirmou que, “pelo trajeto mais curto, o ônibus de Embu está muito mais caro que os da Capital”, referindo-se à tarifa por quilômetro percorrido, dizendo que ouviu reclamações de usuários que ficaram até 40 minutos esperando por uma lotação.

Silvino, autor do requerimento, lembrou que a Câmara aprovou o subsídio público do transporte municipal que está beneficiando diretamente a Arcav, justamente para atender idosos e estudantes, por exemplo. O vereador reconhece que a “Arcav vem há anos prestando excelentes serviços, mas infelizmente esse transporte chamado de alternativo está aparentemente em decadência, num momento em que há muitas ofertas de emprego em nossa cidade”, referindo-se aos novos trabalhadores que necessitam do transporte público de qualidade.

O requerimento foi aprovado por unanimidade dos vereadores, e seguiu para a Arcav-Coopercav, que tem de responder por escrito às indagações do vereador Silvino. Uma sugestão foi feita e aceita para que os representantes do consórcio compareça na próxima quarta-feira, às 16h, na Câmara para prestar esclarecimentos, bem como os representantes da Secretaria de Trânsito e Transportes. Depois foi sugerida a antecipação do encontro para esta sexta-feira (1º de abril), mas a articulação era difícil, pelo curto prazo.

(Márcio Amêndola - Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Embu)

 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.