Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Variedades

Youtuber mirim de Taboão decide alertar sobre problemas sociais em seu canal

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 7/12/2018

Ser um youtuber a é sensação do momento. E é desse mundo digital que a pequena Vitória Abreu Ribeiro, moradora de Taboão da Serra, já faz parte. Com apenas 11 anos de idade, a adolescente grava vídeos para o YouTube com uma desenvoltura de gente grande e, agora, traz mais uma novidade no seu conteúdo.

Apesar de nova, Vitória decidiu gravar vídeos que conscientizem a sociedade sobre os problemas sociais existentes. "Eu pretendo mostrar ações que podem melhorar a sociedade, como por exemplo, não maltratar os animais, que é uma coisa que está acontecendo muito", relata.

O perfil na plataforma, criado em fevereiro deste ano, inicialmente era voltado apenas para diversão, no entanto, conforme foi crescendo, Vitória percebeu a necessidade de falar sobre esses assuntos. "Ao tempo que eu fui crescendo, eu quis tomar a iniciativa de fazer vídeos que ajudassem a sociedade", explica a youtuber mirim.

Ela ainda afirma, no entando, que não pretende deixar totalmente de lado os conteúdos de entretenimento, mas sim, unir os dois. "Como eu ainda tenho 11 anos, eu pretendo continuar meu canal também como diversão", conta, mostrando que a idade, na verdade, pode ser o paralelo entre o sério e o lúdico.

Se antes, a pequena já era orgulho da mãe, agora, nem se fala. "Eu estou super orgulhosa [...] ela está indo para um viés de se preocupar não só mais em se divertir, mas em querer ajudar o próximo, que é tão difícil hoje a gente perceber isso", relata a Giane Abreu.

O apoio da família teve grande importância na história do canal, tanto que, no início, os vídeos eram produzidos com a ajuda da mãe, que também inspecionava as gravações antes de irem ao ar. "A única coisa que eu coloquei como regra, era que qualquer coisa que fosse postar, antes deveria passar pela autorização minha e do pai dela para saber como era o linguajar, para saber se tinha algo que poderia ser mal interpretado", conta.

"Eu acompanho diversos canais também, que tem tags, vlogs. E ai eu fui aprendendo o jeitinho. E eu gosto dessa linguagem digital e aí que eu decidi mesmo criar o canal", conta Vitória, que já conhece todos os jargões usados na internet.

A yotuber, mesmo que não queira seguir carreira profissional na área, terá um legado deixado pelos vídeos. "Lá na frente, quando ela estiver trabalhando, essa desenvoltura só vai ajuda-la a crescer mais", diz orgulhosamente a mãe. "O que a gente espera para os nossos filhos, na verdade, é que eles seja felizes", finaliza Giane.

 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.