Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cultura

Salvos pela dança, moradores de Embu conquistam ouro em competição nos EUA e se tornam campeões mundiais

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 4/12/2018

Os dançarinos Victor Silva e Maycon Amorin levaram o ouro na All Dance Internacional 2018 e trouxeram pela primeira o título de campeões mundiais para a cidade de Embu das Artes, onde moram, nesta competição, que aconteceu em Orlando, nos Estados Unidos, entre os dias 21 e 25 de Novembro.

A dupla competiu no penúltimo dia e conquistou o 1º lugar na categoria "show em dupla". A apresentação aconteceu em um grande palco, com uma coreografia diversificada, que mistura freestyle street dance, jazz, forró, ragga e contemporâneo.

"É uma mistura de orgulho, responsabilidade, felicidade e sonho realizado. Somos novos e isso era um sonho que achávamos que só se realizarua muito lá na frente. Estar no palco esperando a resposta da premiação com tantos países nos vendo foi invencível", explica Maycon. Ele ainda diz que "a sensação na hora foi [de] orgulho, amor pelo que fazemos, [...]alegria, missão cumprida e que todo esforço e choro valeu a pena". 

Já para Victor, "a emoção de estar no mundial e de representar seu pais em meio a tantas bandeiras, e indescritível. Eu não sabia como agir na hora que falaram que éramos o primeiro lugar em nossa categoria em uma evento considerado o maior de dança do mundo."

Os dançarinos foram para Orlando após ganharam o título de campeões em abril no All Dance Brazil 2018, realizado no Rio de Janeiro, que os classificou para a competição internacional e quitou parte do valor dos gastos da viagem internacional.
"Nos workshops conseguimos a bolsa para o mundial quitando uma parte dos gastos", afirma Victor. Ele também explicou que durante 6 meses tiveram que ir atraz de passaporte, visto e patrocínio para poder embarcar. "

A trajetória dos dois no mundo artístico é marcada por grandes superações. Victor viu na dança não só uma profissão, mas a salvação para a sua vida. Com 13 anos, o rapaz tentou tirar sua própria vida por causa de uma depressão. "Tive depressão [...] antes de começar a dançar e tentei me suicidar. E ela me tirou dessa situação. Devo minha vida a dança", conta.

Victor entrou se tornou dançarino profissional a convite de uma amiga do espaço Dançarte. Ele, que já dançava na igreja, viu aí uma oportunidade para aperfeiçoar a sua técnica. No entanto, ele não contava que poderia se apaixonar. "Dentro da escola, o amor pela dança aumentou a um ponto que decidi que faria aquilo para o resto da minha vida, amei compreender a arte que poderia ser passada por meus movimentos", explicou.

Para Maycon, a história também não foi diferente. Ele, que sempre sonhou em seeguir no meio artístico, ingressou no mundo da dança aos 9 anos após ter um encontro com Raquel Trindade. "Eu estava na Praça de Embu das Artes catando latinhas para ajudar minha família, pois sempre fomos muito humildes, dançando feliz até que falecida Raquel Trindade me parou e disse que eu tinha algo diferente, que eu deveria investir na dança e na arte. Desde la eu sempre guardei isso no coração", relata.

O jovem ainda conta que teve de sair da cidade após a casa de madeira que morava com a família pegar fogo em um incêndio e só retornou a Embu aos 13 anos, quando reenccontrou seu parceiro, que o levou na escola de dança. "Eu me apaixonei por lá e queria fazer aulas, mas não tinha condições financeiras. Então, a diretora viu algo em mim e no Victor e nos permitiu ter uma bolsa para estudar", explica Maycon.

Ele também teve sua vida salva pela dança já que, na infância, enfrentou diversas dificuldades. "A dança mudou minha Vida. Eu sofria muito bullying, apanhava na escola, era muito zuado por colegas, minha família era muito pobre, não tinha amigos e o único que tinha havia ficado em Embu, que era o Victor meu atual parceiro e irmão. A dança me tirou da depressão e das ruas, salvou minha vida e me permitiu dar orgulho a minha Familia", relata.

Agora, os dois são professores na escola de dança onde começaram sua trajetória e, além de felizes, estão gratos pela conquista e ajuda que tiveram para participar da competição. Se você tiver interesse em conhecer de perto o trabalho da dupla, acesse a página VM Gemini no Facebook e o canal no Youtube.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.