Operação Hórus é realizada em Taboão e em outras 5 cidades do Estado para combater quadrilha de sonegadores

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 3/12/2018

Uma ação conjunta entre a Secretaria Estadual da Fazenda, o Ministério Público e a Procuradoria Geral do Estado de São Paulo, deu início, na madrugada de quarta-feira (28), em Taboão e em outros 5 cidades, à operação Olho de Hórus, que visa combater quadrilha de sonegadores.

Durante a ação, foram cumpridos mandados de busca e apreensão, além dos de prisão contra um dos sócios de uma distribuidora de ação e seus contadores, restando ainda dois.

A quadrilha era composta por pessoas físicas e empresas que articulam fraudes fiscais para sonegar o ICMS. Até o momento estima-se que o prejuízo nos cofres públicos tenha chegado a R$ 45 milhões, já que as empresas movimentaram cerca de R$ 1 bilhão em circulação de mercadoria.

Para conseguir driblar a cobrança e não efetuar o pagamento, o grupo criava empresas fantasmas e transferia os créditos do ICMS, ou seja, elas geravam notas fiscais falsas de compras e transferiram o crédito gerado por elas a empresas reais para abater no valor de débito do que era vendido.

Uma das empresas alvo é uma distribuidora de aço em Santo André, que se beneficiaria através de um esquema de empresas fantasmas ou de fachada criadas para sonegar impostos.

Lá, foram apreendidas diversas cédulas de dinheiro e uma arma de fogo, cujo dono ainda é desconhecido. Na empresa, a quantidade de carros de luxo tambem chamou a atenção da aquipe, que por enquanto não serão apreendidos, mas contarão como patrimônio da empresa. Os agentes vão verificar se foram adquiridos de forma idônea ou se o dinheiro sonegado foi usado para adquiri-los.

Comentários