Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

PSDB cobra explicações dos 4 vereadores de Taboão sobre retirada do apoio a Doria e ida para Skaf

Por Sandra Pereira | 12/09/2018

ff

Sandra Pereira

O presidente estadual do PSDB, Pedro Tobias, e o secretário-geral do partido, César Gontijo, estiveram em Taboão da Serra nesta terça-feira, 11, para anunciar que o partido vai abrir procedimento interno para apurar a conduta dos vereadores tucanos Eduardo Nóbrega, Érica Franquini, André Egydio e Carlinhos do Leme. Os quatro participaram de uma caminhada na Kizaemon Takeuti, com o candidato ao governo do estado pelo MDB, Paulo Skaf, e concederam entrevista a grande imprensa afirmando apoiar Skaf, em detrimento da candidatura de João Doria, do PSDB. Os tucanos rebeldes podem ser advertidos e até expulsos pelo ato que pode caracterizar infidelidade partidária. Eles receberam notificação oficial do PSDB estadual e terão cinco dias para justificar a participação no ato.

Os dois integrantes da executiva estadual tucana concederam entrevista coletiva ao lado do prefeito Fernando Fernandes. Disseram estar indignados e envergonhados com a postura dos vereadores tucanos. Também
expressaram solidariedade ao prefeito e citaram a importância da história dele no partido. Lembraram que os quatro vereadores participaram recentemente de uma visita de Doria a Taboão da Serra onde fizeram discursos elogiosos ao candidato ao governo tucano. Ambos questionaram o que pode ter mudado para que Eduardo Nóbrega, Érica Franquini, André Egydio e Carlinhos do Leme retirassem o apoio a João Doria, assim como ao governo municipal.

Pedro Tobias, presidente estadual do PSDB foi mais incisivo e ligou a conduta infiel dos vereadores tucano à aliança com o prefeito de Embu, Ney Santos. Deixou claro que o partido desaprova a aliança e manteve a “porta aberta” para retorno dos vereadores ao ninho tucano. Ele revelou já ter se posicionado contra o prefeito de Embu em outras ocasiões dentro da Alesp.

“Não viemos antecipar nenhum julgamento ou decisão. Até porque, os vereadores precisam ser ouvidos. Precisamos entender essa decisão de se unir ao grupo político do prefeito de Embu. Todos nós sabemos a situação dele na Justiça. Nós mandamos uma carta para que eles respondam com suas defesas em um prazo de cinco dias. Se não responderem, vamos tomar a decisão dentro da executiva do partido. A pena pode ser suspensão até expulsão, não tem problema. Já expulsei prefeito, já expulsei gente mais pesada que eles. Agora, esses vereadores apoiando o grupo político de Embu é lamentável”, externou o presidente estadual tucano.

Pedro Tobias disse que mesmo sendo presidente do partido, não vai agir sozinho no caso. Ele observou que vai agir junto com a executiva e a comissão de ética para estudar qual será a punição dada aos vereadores. Garantiu que dará direito de ampla defesa aos 4 vereadores e assinalou que se houver expulsões, vão agir para que os suplentes assumam as cadeiras na Câmara já que os mandatos são do PSDB.

“Vamos ver que motivo eles fizeram isso. Se receberam alguma vantagem? Não posso dizer que sim. Vamos ver. Não dá para falar nada ainda”, assinalou Pedro Tobias.

De acordo com o prefeito Fernando Fernandes, a razão para os vereadores romperem com o governo foi o fato dele não permitir dobrada entre a deputada Analice Fernandes e a candidata a deputada federal, Ely Santos, irmã do prefeito Ney Santos.

“Eles queriam fazer material da Analice junto com a Ely Santos, que é a candidata a deputada federal que eles apoiam. Eu não aceitei isso. Não aceito. Elas não são parceiras. Eles podem fazer campanha para Ely não tem problema nenhum isso, agora não podem me obrigar a fazer propaganda das duas juntas. Eu não deixei. Tivemos várias reuniões até que na última houve o problema com o meu neto e a discussão com o Bodinho”, contou o prefeito Fernando Fernandes, antes de ser interrompido por Pedro Tobias que assinalou prontamente: “Fez bem. Tem muita diferença gente. Não é uma diferença política, ideológica, é uma diferença de caráter, de ética, de mais coisas...Não tem meio termo, com Ney Santos não tem acordo”, disparou o presidente estadual dos tucanos.

Na mesma linha de Pedro Tobias, o secretário-geral do PSDB paulista, César Gontijo, reafirmou apoio ao prefeito de Taboão e declarou se sentir envergonhado com a conduta dos vereadores Eduardo Nóbrega, Érica Franquini, André Egydio e Carlinhos do Leme.

“Nós temos que questionar quais os motivos que eles tiveram para mudar de ideia tão rápido. No momento em que se mexe com o Fernando, mexe com todos”, citou César Gontijo.

Na reta final da coletiva o prefeito Fernando Fernandes disse não se arrepender nem por um milésimo de segundo por não aceitar a dobrada entre Analice e Ely Santos.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.