Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Transporte e Trânsito

Retirada de cobradores de ônibus em Embu-Guaçu causa transtorno a moradores

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 30/08/2018

grajaa

Divulgação A mudança vem sendo marcada por atrasos e demora no percuso

Desde que cobradores foram retirados de algumas linhas de ônibus de Embu-Guaçu, os moradores da cidade vêm enfrentando uma série de transtornos para conseguir se locomover até a capital paulista.

Em maio deste ano, a Intervias Miracatiba, empresa responsável pela administração do transporte na cidade, retirou os cobradores da linha 012, que vai do bairro Cipó até o Terminal Grajaú, na cidade de São Paulo. No início de agosto, outra linha de ônibus da cidade, a 226, foi afetada pela medida. Ela também vai do Cipó até o Grajaú.

A providência da empresa gerou alvoroço na cidade, isso porque, segundo reclamações de passageiros, a dupla função de cobrar e dirigir que o motorista é obrigado a exercer causa demora no embarque e, por consequência, atrasos na viagem.

Segundo uma moradora da cidade que depende destas linhas do coletivo para chegar à capital, depois da medida, em uma viagem um dos ônibus demorou 2h12 minutos para fazer um percurso que geralmente leva 1h20.

“A retirada de cobradores, além de sobrecarregar os motoristas, também prejudicou a população, pois alguns deles não conseguem realizar as 2 funções, o que gera atrasos, desconforto e irritações, principalmente aos que vão em pé. A viagem já é longa e, com a demora, fica ainda pior,” afirma a munícipe em entrevista à reportagem.

Um outro passageiro numa rede social também denunciou o problema. Revoltado, ele afirma que a passagem é paga “para ter tanto cobrador, quanto motoristas dentro dos ônibus, então tem que reduzir em 50% o valor ”.

Uma outra questão levantada, além da demora, é em relação à segurança dos passageiros, já que, sem cobrador, o condutor do coletivo também fica responsável por olhar as portas e prestar atenção nos desembarques, bem como manusear o elevador para o embarque de pessoas em cadeiras de rodas.

“Há alguns motoristas que tem essa falta de atenção quanto ao sinal no desembarque. Já presenciei o grito do ‘vai descer’ porque não parou no ponto ou ‘vai descer’ porque ele já estava saindo sem terminar de descer quem precisa”, completou ainda a moradora. 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.