Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Educação

Professora é homenageada por ex-alunos em escola de Embu das Artes

Por Juliana Ribeiro | 18/06/2018

Mercia00

Arley A. CunhaA homenagem emocionou a professora e todas as pessoas presentes

A professora aposentada Mércia Ramos, de 64 anos, recebeu uma surpresa emocionante de ex-alunos da Escola Professora Antonieta Martins de Almeida, que fica no Jardim Pinheirinho, em Embu das Artes. No último sábado, mais de 90 pessoas se reuniram especialmente para homenagear a professora, que começou a ministrar aulas de artes na escola ainda na década de 1980.

Uma das idealizadoras do evento é a técnica de Enfermagem Fernanda Lara, de 35 anos. Ela, que já foi aluna da professora Mércia, conta que a educadora sempre fez a diferença na vida dela e dos colegas. “Ela esteve por muito tempo conosco aqui na escola e fez a diferença em nossas vidas. Na verdade, ela não foi só uma professora, foi uma educadora e, por muitas vezes, foi como uma mãe para todos nós”, conta Fernanda.

Ainda segundo Fernanda, tudo foi organizado para que ela pudesse perceber o quanto é amada e admirada por todos. Ela ainda explica que esta foi uma maneira que encontraram para agradecê-la:

“Tudo que ela fez por nós ficou, de certa forma, muito gravado no coração. Então nós organizamos este evento com as músicas que ela gosta, tocadas ao vivo por ex-alunos. A diretora da escola abriu alguns arquivos de fotos para que pudéssemos ver e pesquisar. Nós montamos um banner para ela, que será assinado por todos e fizemos também um troféu exclusivo, como homenagem. Ela vai receber de nós esse amor e toda a nossa gratidão”, explica Fernanda.

A servidora pública Clara Prado, de 44 anos, preparou uma linda homenagem a professora. Para Clara, ela sempre teve um diferencial. “Acho que a Mércia transformou tudo que a gente entendia por escola. Quando ela chegou, transformou a todos com demonstrações de carinho, com essa fala mansa, com a tranqüilidade, e se aproximou muito dos alunos, que era o mais importante”, ela diz.

Para a auxiliar de desenvolvimento infantil Elaine Rufino, de 39 anos, Mércia foi uma das grandes influências no que diz respeito a música e, durante o evento, foi Elaine quem cantou as músicas preferidas da professora.

“A Mércia teve uma grande importância em minha vida e uma influência muito forte, inclusive na música. Ela sempre nos influenciou muito nessa parte musical e teatral e isso foi brotando em mim desde pequena. Hoje eu canto e acredito que ela teve uma boa influência nisso. Ela deu o melhor dela aqui para a nossa escola e, quando eu entro aqui ou quando a vejo, eu me lembro da minha infância”, ela recorda.

Além dos antigos alunos, estiveram presentes no evento professores que foram colegas de trabalho de Mércia, dentre eles a professora Regina Pino, que trabalhou na escola de 1989 a 1997. “Mércia sempre foi uma colega sensacional, uma pessoa muito à frente da idade e do tempo dela. Negatividade era uma palavra que não existia para Ela. Mércia sempre tinha uma palavra amiga, uma palavra positiva e era uma pessoa que inovava o tempo inteiro, seja junto aos colegas de trabalho, seja junto aos estudantes” ela elogia.

A professora chegou ao local de olhos vendados, o que contribuiu para que a surpresa fosse ainda mais emocionante. Quando Mércia tirou a venda dos olhos, a banda começou a tocar a música “Maria, Maria”, de Milton Nascimento. Todos os presentes entoaram juntos a canção, o que emocionou muito a professora e todos os presentes ali.

Após a calorosa recepção, o evento seguiu com mais música e muitas homenagens a Mércia. Ela aacompanhou momentos especiais de sua vida em um vídeo e, além disso, também recebeu um troféu confeccionado especialmente em sua homenagem.

Visivelmente emocionada, Mércia revelou ter ficado muito feliz pelo carinho recebido. “Nossa! Trabalhei aqui por 18 anos e é gratificante e muito bom você perceber que deixou algo durante o seu trabalho. Durante o tempo que eu dei aula aqui, como professora de artes, nós fazíamos muita arte juntos, sempre desenvolvendo a criatividade deles. Mesmo separados, a gente tem uma proximidade. Eu tenho contato com eles pelo face e quando nos encontramos fico muito feliz por ver que eles estão bem, pois é como se fossem filhos. Acho que valeu muito a pena ter ficado tanto tempo nessa escola”, ela conclui.

 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.