Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Polícia

Acusados de matar delegado da Polícia Federal no Morumbi moravam em Taboão da Serra

Por Da Redação do Jornal na Net | 15/05/2018

delegado

Hélvio Romero/ EstadãoOs dois acusados de matar o delegado moravam na região do jardim Record, em Taboão da Serra

Os dois acusados de matar o delegado da Polícia Federal Mauro Sérgio Salles Abdo, baleado dentro da própria residência no Morumbi, nas proximidades do Palácio dos Bandeirantes, nesta segunda-feira, 14, são moradores de Taboão da Serra. Um deles morava no Jardim Record e outro nas imediações do bairro. O delegado federal foi socorrido e morreu no hospital. Os dois moradores de Taboão foram detidos, um deles foi atingido durante a troca de tiros. O criminoso baleado havia recebido o benefício da saída temporária para o Dia das Mães na última sexta-feira, 11. Os acusados foram identificados como Rubens Gomes de Sá e  Renato Pereira.

Segundo o major da Polícia Militar Marcelo Tasso, os dois bandidos relataram ter entrado no fim da tarde de domingo em uma mansão abandonada ao lado da casa do delegado. Eles pretendiam fazer um furto na residência, mas não encontraram nada de interesse. Por isso, decidiram pelo roubo a outro imóvel na manhã desta segunda-feira.

Por volta de 7h, eles pularam o muro entre as duas casas e encontraram o delegado na cozinha, onde tomava café da manhã. Ele estava em casa com a mulher e a filha, de 16 anos. O delegado reagiu, atirando contra os bandidos. Ele atingiu um deles na perna e antebraço. Os bandidos revidaram e atingiram três tiros no policial. Ao menos um deles no peito.

Em seguida, os bandidos fugiram separados. O que foi baleado voltou para a casa abandonada, onde passou a noite. O outro fugiu para casas vizinhas, pulando os muros. Segundo Tasso, ele entrou em pelo menos cinco residências antes de ser preso. O criminoso baleado havia recebido o benefício da saída temporária de Dia das Mães. O outro tinha passagens pela polícia por roubo e furto e deixou a prisão em 2011.

Um dos vizinhos da casa assaltada, o sr Antônio Carlos de Barros deixou um bilhete para os bandidos informando sobre as câmeras de segurança e que a residência dele estava vazia.

O Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Estado de São Paulo (SindpfSP) divulgou um comunicado no qual diz que a "diretoria está acompanhando o caso para que os criminosos sejam responsabilizados e encarcerados".

"Em todo o País, cotidianamente, não bastassem os elevados índices de violência, policiais são abatidos por criminosos", diz a nota, acrescentando que aguarda que "medidas efetivas para garantir o direito constitucional à segurança pública sejam adotadas".

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.