Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Variedades

Cresce a participação dos homens nas tarefas domésticas, diz IBGE

Por Juliana Ribeiro | 24/04/2018

homem

Reprodução Segundo pesquisa, o número de homens realizando tarefas do lar subiu de 71,9% para 76,4%

Os cuidados com a casa e a distribuição de afazeres domésticos continuam desiguais no Brasil. Porém, segundo informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de homens realizando tarefas do lar está maior que há um ano, subindo de 71,9% para 76,4%.

Dentro destas estatísticas está o operador de máquina Rafael Araújo, de 27 anos, morador de Embu das Artes. Ele, que é casado há pouco mais de um ano, sempre fez questão de dividir as tarefas domésticas com a esposa, a analista de RH Karina Pádua.

“Eu acho que temos sim que dividir as tarefas domésticas, porque não acho justo a mulher fazer tudo sozinha. Não vejo problema nenhum em limpar uma casa ou fazer o jantar, então contribuo em tudo, principalmente agora que a minha esposa está gestante”, ele diz.

Karina, que está no oitavo mês de gravidez, acha ótimo poder contar com o marido. Ela, assim como ele, também trabalha fora de casa. “Às vezes você chega em casa cansada e tem que fazer a limpeza ou o jantar. Mas chegar e ver que já está tudo adiantado é muito bom. Se todos os maridos agissem assim, seria ótimo!”, ela diz e completa: “ É muita coisa para uma pessoa só. A mulher tem que dar conta da casa, do trabalho, dos filhos. É preciso sim, dividir as tarefas”.

Outro fator que contribuiu para o aumento da participação dos homens na ajuda com as tarefas domésticas foi o período de crise, como afirma a pesquisadora do IBGE Alessandra Brito: “Pode ser um movimento conjuntural: as famílias estão com renda menor e não dá para pagar diarista, não dá para pagar babá, então estão fazendo mais tarefas domésticas”.

No ano de 2017, a renda do trabalhador brasileiro caiu, em média 2%, para R$ 2.178. A crise afetou principalmente aqueles com carteira assinada, que vem buscando o sustento por conta própria.

Apesar do aumento no percentual masculino, o número de mulheres que cuidam das atividades domésticas ainda é superior e foi de 89,8% em 2016 para 91,7% em 2017. Ainda em 2017, 84,4% da população com idade superior a 14 anos realizava afazeres domésticos no domicílio ou na casa de parentes, o equivalente a 142,4 milhões de pessoas. Em 2016, a taxa era mais baixa, de 81,3%.

As mulheres também estavam à frente dos homens em todos os tipos de afazeres domésticos, com exceção da execução de pequenos reparos ou manutenção do domicílio, automóvel, eletrodoméstico ou outros equipamentos, citado por 63,1% deles e apenas 34% delas.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.