Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Variedades

Família acredita que jovem não suportou pressão do ex-namorado para que fizesse aborto

Por Sandra Pereira | 25/03/2018

taina

Divulgação FacebookFamília da jovem está inconformada com a tragédia e culpa pressão do ex-namorado

Faz duas semanas que a família da adolescente Thaina Cristina, grávida de dois meses, está desolada por causa do enforcamento dela. A mãe da menina está mortificada com a perda. Inconsolável, ela não consegue retomar a rotina e permanece inconformada com a tragédia que abateu sua família. A gravidez de Thaina pegou a todos de surpresa, mas os familiares apoiaram a menina que estava ansiosa para ter a criança e vivia fazendo planos. Para a família a jovem não suportou a pressão que vinha sofrendo do pai do bebê para que fizesse um aborto.

“Ela ficou abalada no começo, claro, porque estava grávida com 16 anos e o pai da criança lhe incomodava a todo momento querendo convencê-la para fazer aborto. A minha irmã não era uma pessoa depressiva e nem estava em depressão. A verdade é que ela não aguentou a pressão”, revelou a irmã da adolescente.

Ela disse que para a família, Thaina Cristina acabou tirando a própria vida por não suportar essa pressão feita pelo rapaz.

Segundo ela, o clima de ansiedade na casa, por conta da chegada do bebê, só era quebrado quando o ex-namorado de Thaina aparecia.

“A minha irmã era uma pessoa alegre e feliz. Ela mudava quando ele aparecia por causa da pressão que fazia pra ela não ter o bebê”, contou a moça a reportagem do Jornal na Net. “A Thaina sempre foi tudo para nós. Toda essa tragédia aconteceu em pouco tempo. Agora minha maior preocupação é com a minha mãe e o bem estar dela. Ela não está bem e a gente precisa ajudá-la”, completou.


Thaina Cristina estudava na E.E Domingos Mignoni, na região central de Taboão e foi sepultada sob intensa comoção da família e amigos no dia 17, no cemitério Vale dos Reis.

Atenção isso é muito importante:


Se você convive ou conhece alguém que demonstra pensar em suícidio procure o Centro de Valorização da Vida (CVV). A entidade realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone 141, email, chat e voip 24 horas todos os dias. 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.