Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Polícia

Sargento matou esposa, atirou na filha e depois se matou em Taboão

Por Sandra Pereira | 14/03/2018

sargentotiro900

Leitor do Jornal na Net

A quarta-feira começou de forma trágica em Taboão da Serra. Um sargento que trabalha no 1º Batalhão de Polícia Militar da zona sul e morava em Taboão, baleou a mulher, a filha e depois se matou por volta das 06h40 desta quarta-feira (14), no condomínio Vertentes, na Estrada de São Francisco, localizado em frente a padaria Ne Vile.. A filha do casal tem apenas 9 anos de idade. Veja imagens da movimentação no condomínio aqui.

O sargento identificado como Antônio Carlos e a mulher dele Rose Adriana morreram dentro do apartamento onde viviam.

A família morava na torre três do Condomínio Vertentes. A filha do casal, Ana Júlia,  foi atingida com um tiro no rosto. A criança deixou o apartamento aos gritos  pedindo socorro aos vizinhos. A menina foi socorrida para o Hospital Geral do Pirajuçara e o seu quadro é estável e ela vai sobreviver aos ferimentos. 

Vizinhos ouviram os tiros e acionaram a Polícia Militar. Mas ninguém na vizinhança sabia explicar direito o que houve.

Equipes da Polícia Militar, da Guarda Civil Municipal, Bombeiros e SAMU estão no condomínio Vertentes.

A vizinhança está em choque com a tragédia familiar no condomínio. Em todos os cantos moradores comentam o fim trágico que o sargento deu à esposa e a sua própria vida.

De acordo com a Polícia Militar, o sargento completaria 12 anos na PM. Está descartada a possibilidade de briga antes dos sete disparos: dois atingiram a mulher, um a filha e com outro ele cometeu o suicídio. Segundo os vizinhos, a família vivia no condomínio há, pelo menos, quatro anos e que "eram tranquilos". 

“A cena indica um homicídio, uma tentativa de homicídio e posteriormente um suicídio. A cena indica isso, mas a apuração vai continuar para que nós possamos evidenciar todos os detalhes. Em princípio a ordem foi essa, mas nós ainda precisamos de mais informações. Agora nós iremos buscar informações com a criança, se ela estiver em condições de dar informações nesse primeiro momento”, afirmou o delegado Ronald Nascimento.

A polícia não descarta a possibilidade do crime de feminicídio que é o termo usado para o assassinato de mulheres, por causa do gênero, ou seja, a mulher é morta, geralmente pelo namorado, marido ou ex-companheiro, por ser mulher e não conseguir se defender.


Um estudo feito pelo Ministério Público Estadual revela que 45% dos casos de feminicídio no estado de São Paulo ocorrem por separação ou pedido de separação. O levantamento "Raio X do Feminicídio” mapeou onde, quando e por que esses crimes acontecem, mostrando um quadro inaceitável do pior refelexo da violência à mulher.

 

Leia íntegra da nota divulgada pela PM sobre a tragédia:

"A Polícia Militar lamenta profundamente o fato ocorrido na manhã dessa quarta-feira (14), na qual foi acionada para atendimento de ocorrência de disparos de arma de fogo na Estrada São Francisco, em Taboão da Serra. No interior de um apartamento, foi constatado a morte de duas pessoas, do sargento A.C.S.S. pertencente ao 1º BPM/M e de sua esposa. A filha do casal de nove anos de idade, foi ferida por disparos de arma de fogo na região da boca e dos braços, sendo socorrida ao PS do Hospital Geral de Pirajussara.

Preliminarmente tem-se que após uma briga, o autor efetuou disparos na direção de sua esposa, da filha e se suicidou. A Ocorrência está sendo apresentada no 1º DP de Taboão da Serra".

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.