Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Transporte e Trânsito

Moradora do Jardim Record é vítima de assédio em ônibus da linha 090 na ida ao trabalho

Por Sandra Pereira | 1/03/2018

aaaaabuso900

DivulgaçãoAcusado foi levado ao 34º DP

Uma jovem de apenas 19 anos, moradora do jardim Record, em Taboão da Serra, sofreu assédio sexual dentro de um ônibus da linha 090, da viação Pirajuçara, com destino a Pinheiros, quando estava indo ao trabalho nesta quinta-feira, 01. Veja o vídeo clicando aqui.

Passageiros do coletivo filmaram o homem sentado de braços cruzados, esticando o corpo para passar os dedos na bunda da jovem. De acordo com testemunhas, o acusado ficou passando os dedos na bunda da menina por mais de meia hora. Ele foi flagrado em vários vídeos pelos passageiros do coletivo.

“Fiquei desesperada, com medo, como nojo e muita raiva de tudo isso. É nojento um homem se aproveitar da gente dessa forma”, desabafou a jovem, que se chama Amanda Brito.

As imagens feitas pelos passageiros mostram André Luiz da Silva sentado, esticando o corpo, passando os dedos na bunda dela e repetindo os movimentos sem o menor pudor. Ao ser confrontado por Amanda e outros passageiros, André Luiz da Silva negou o crime. Mas, acabou sendo levado pelo motorista do ônibus ao 34º Distrito Policial em São Paulo, onde está sendo registrado Boletim de Ocorrência sobre o caso de assédio que chocou todos os passageiros.

Uma moradora do Trianon que presenciou o assédio ficou indignada. Ela disse ao Jornal na Net que Amanda demorou para notar pois estava conversando com outra pessoa e o ônibus estava superlotado. De acordo com ela, a jovem estava em pé e o acusado sentado tentava dissimular o assédio, mas, aos poucos os passageiros foram notando e começaram a encará-lo para ver se ele parava. Entretanto, André Luiz insistia e continuava passando os dedos na bunda da jovem.

“Ela percebia algo a cutucando, mas o ônibus estava muito cheio, até uma hora que eu comecei a olhar pra ela e dar sinal do que ele estava fazendo. Achei que ele ia fugir então esperei por que se ela não quisesse denunciar eu mesma denunciaria, mas precisaria da foto do rosto. Ele nos xingou disse que tinha família, o outro cara que o encarava veio mas ele continuou negando. Só que a gente tinha as fotos e os vídeos. Foi muito nojento mesmo”, contou uma passageira.

Ela teme pelo fato de pegar esse ônibus diariamente para ir ao trabalho. Além disso, afirmou esperar que a Justiça seja feita e o acusado pague pelo crime que praticou contra a jovem dentro de um ônibus lotado.

Outro passageiro disse que o acusado pega utiliza a linha com frequência e desce nas imediações do mercado Santa Fé.

 

 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.