Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Saúde

Vacina da febre amarela: especialista esclarece principais dúvidas

Por Assessoria de Imprensa | 27/02/2018

helena_sato

Divulgação A expectativa da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo é imunizar 9,2 milhões de pessoas  

A campanha de vacinação contra a febre amarela foi prorrogada em São Paulo até o próximo dia 2 de março. A expectativa da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo é imunizar 9,2 milhões de pessoas  em 54 municípios – a meta é chegar ao menos até 95% deste contingente. No entanto, a população ainda está com dúvidas de quando é necessária a imunização, sobre a eficácia da dose fracionada e ainda há relatos de quem se queixa de sentir medo de aderir à campanha.

“Quem não pode tomar a vacina contra a febre amarela? São poucas as situações”, pondera a diretora técnica de Imunização da Secretaria Estadual da Saúde, doutora Helena Sato, antes de listar as situações em que não se deve tomar a vacina.

“Quem tem reação alérgica grave após a ingestão de ovo, por exemplo, pessoas que estão em tratamento de quimioterapia, radioterapia, que fazem uso de alguma droga imunossupressora não podem ser vacinadas, e mulheres grávidas”, explica a médica, antes de ponderar sobre as gestantes: “Qual será a única gravida que irá tomar a vacina contra a febre amarela? Aquela grávida que mora na rua onde foi identificado o vírus da febre amarela. Então é muito específico”, esclarece.

Entretanto, por insegurança, mesmo quem não está neste grupo de risco tem deixado de ser imunizada. É o caso da família da analista administrativa Tathiana Oliveira, de 37 anos, moradora de Guaianases, no extremo leste de São Paulo. “Até agora não tinha ido vacinar meus três filhos, que têm 16, 13 e 4 anos, porque assisti algumas reportagens e fiquei sabendo de pessoas que tiveram reação à vacina. Ainda estava com dúvidas se eles podiam ou não tomar”, conta.

Somente na última sexta-feira (23), quando recebeu a visita da agente de saúde do bairro, a mãe mudou de ideia quanto à imunização. “Meus filhos não estão no grupo de risco e hoje entendi que cada caso é um caso. Marquei de irmos até uma UBS (Unidade Básica de Saúde)”, disse Tathiana. A equipe de saúde da unidade está preparada para fazer a triagem.

Ao contrário do que se tem dito, a dose fracionada não é fraca. “A única diferença é a dosagem. É a mesma vacina da dose padrão, que tem 0,5 ml, enquanto a fracionada tem 0,1 ml. E ela protege da mesma forma”, tranquiliza a especialista. A doutora ainda citou dois exemplos em que a dose fracionada teve eficiência comprovada: quando houve febre amarela urbana em Angola e no Congo, na África.

Informações atuais da Organização Mundial de Saúde – OMS sugerem que quem tomou a dose fracionada, a reforce em 8 anos. Já quem tomou a dose padrão, não há necessidade de reforço. A dose fracionada foi adotada no dia 25 de janeiro de 2018 – quem se vacinou antes recebeu a dose padrão.

Tire suas dúvidas

  • Deverão consultar o médico sobre a necessidade da vacina os portadores de HIV positivo, pacientes com tratamento quimioterápico concluído, transplantados, hemofílicos ou pessoas com doenças do sangue e de doença falciforme;
  • Não há indicação de imunização para grávidas que morem em locais sem recomendação para vacina;
  • quem toma antibiótico pode tomar a vacina;
  • mulheres amamentando crianças com até 6 meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas (como por exemplo Lúpus e Artrite Reumatoide);
  • quem mora ou vai viajar para uma área de risco precisa tomar a vacina , sendo necessário a imunização 10 dias antes da viagem
  • o macaco não transmite a febre amarela

21/04/2018

Febre amarela continua se expandindo pelo país

Embora os casos confirmados de febre amarela tenham diminuído no Brasil nas últimas três...

21/04/2018

SAMU promove curso de primeiros socorros na Escola do Legislativo de Taboão

A Escola do Legislativo de Taboão da Serra recebeu no dia 19, no plenário da Câmara, a equipe do...

20/04/2018

Embu das Artes recebe mais um prêmio na área da saúde

Referência no tratamento da tuberculose e com um dos maiores índices de cura do Estado de São...

14/04/2018

Cajec recebeu autoridades em evento beneficente para arrecadar fundos

A Casa de Apoio à Criança com Câncer José Eduardo Cavichio, (Cajec)  realizou um bingo...

12/04/2018

Saiba mais sobre as vacinas contra a gripe disponíveis no Brasil

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de 10% da população seja infectada...

11/04/2018

Taboão inscreve 49 projetos em Congresso Estadual de Saúde

Profissionais de saúde de Taboão da Serra participarão, de 18 a 20 de abril, do 32º Congresso de...

09/04/2018

Estudo mostra que música pode potencializar tratamento contra hipertensão

Uma pesquisa desenvolvida na Universidade Estadual Paulista (Unesp) mostra que a música pode...

09/04/2018

Secretária de Saúde de Taboão abre inscrições para curso de cuidadores informais

A Secretaria de Saúde abriu inscrições para a décima turma do curso de Cuidadores Informais.


...

07/04/2018

ONU pede cuidados médicos para todos no Dia Mundial da Saúde

O mundo inteiro comemora neste sábado, 7 de abril, o Dia Mundial da Saúde, que este ano tem o...

21/04/2018

Febre amarela continua se expandindo pelo país

Embora os casos confirmados de febre amarela tenham diminuído no Brasil nas últimas três...

21/04/2018

Candidatos desempregados aceitariam ganhar menos que no emprego anterior

Pesquisa divulgada pela Robert Half, empresa de recrutamento e seleção, mostra que 70% dos...

21/04/2018

Governo diz que terá de adiar reajuste de servidor para fechar contas em 2019

Para tentar impedir a paralisação da máquina administrativa e dos investimentos públicos no ano...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.