Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Polícia

No Brasil, mortes decorrentes de intervenções policiais dobraram em sete anos

Por Outro autor | 19/11/2017

caamburao900

Fernando Frazão Segundo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, número de mortos por polícias subiu de 2.177 em 2009 para 4.219 em 2016 

Crédito do Texto: Por Carolina Bianchini e Rodrigo Emannuel

As mortes causadas por intervenções policiais civis e militares aumentaram significativamente nos últimos sete anos. O total de mortos em ações policias entre 2009 e 2016 é de 21.897 pessoas. Em 2016, ano em que se contabilizou mais mortes no período, foram, ao todo, 4.219 mortes em decorrência de intervenção policial - um aumento de 25,8% em relação a 2015.

Os dados são do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), que lançou, no último dia 29 de outubro a 11° edição do “Anuário Brasileiro de Segurança Pública”. O levantamento realizado pelo FBSP consiste na compilação de dados sobre a violência nos Estados brasileiros. As fontes são o IBGE, as secretarias estaduais de segurança pública e as polícias&8203; militar e civil - responsáveis por fornecer as informações.

Para Rafael Custódio, advogado e coordenador de Justiça da ONG Conectas Direitos Humanos, o cenário de violência policial no Brasil é alarmante. Ele atribui o aumento substancial no número de mortos pelas polícias à política de segurança pública que tem sido adotada pelo Estado brasileiro. De acordo com o advogado, no Brasil, a atuação das policiais é idealizada num modelo de enfrentamento direto com supostos criminosos.

“Ao invés de se privilegiar atividades de investigação, capazes de desarticular os grandes esquemas criminosos, os governos estaduais preferem investir recursos nas polícias militares. Elas, apesar de não investigarem crimes, representam para os governos estaduais um ativo político importante, já que a população em geral gosta de ver a ‘polícia nas ruas’ e isso passa uma sensação de segurança.”, afirma Custódio.

De acordo com o advogado, ao priorizar o policiamento ostensivo o Estado brasileiro contribui para que situações de enfrentamento ocorram em maior proporção. Ele alerta que “o método das polícias nesses episódios [de enfrentamento] é de extrema brutalidade e violência”. Para Custódio, a presença da polícia nas ruas não têm significado uma sociedade mais segura, pelo contrário, “têm significado um aumento no número de mortes de civis e simplesmente não sabemos se as mortes são legais ou execuções sumárias, ilegais”, conclui.

O FBSP levantou, também, os dados relativos ao perfil das vítimas de violência policial entre 2015 e 2016. Os dados revelam que as vítimas são, preponderantemente, do sexo masculino (99,3%), negros (76,2%), e jovens com idades entre 12 e 29 anos (81,8%). Segundo Custódio, a seletividade da violência policial contra negros e pobres em situação periférica é estrutural, uma vez que o modelo de segurança pública aplicado no Brasil ainda carrega traços da ditadura, como a ideologia de guerra contra um potencial inimigo externo, mesmo após a redemocratização do país nos anos 80.

“O modelo de segurança pública que temos é uma política institucionalizada de extermínio dessas pessoas, que são mortas simplesmente pelo fato de serem negras e pobres. Um modelo de polícia que é vinculado ao Exército, que tem código de conduta militar, justiça militar, e ideologia e treinamento militar, só pode mesmo produzir esse grau de violência. A questão que se coloca é: a quem interessa manter essa máquina de violência e brutalidade contra os negros e pobres”, afirma.

Por fim, Custódio aponta para a necessidade de que enfrentemos o tema de reforma das polícias atuantes no Brasil. Para ele, a aprovação da PEC 51 é fundamental, pois ela prevê a criação de novas polícias, desmilitarizadas, de ciclo completo e carreira única. Além disso, ele defende que, a curto prazo, o Ministério Público “saia da sua histórica e imoral letargia” e passe a cumprir seu dever constitucional de controle das polícias “fortalecendo, assim, esse imprescindível mecanismo de controle e responsabilização”.

O outro lado

Os policiais também tem sofrido com a violência no Brasil. O FBSP registrou, em 2016, um total de 437 policiais civis e militares, dentro e fora de serviço, vítimas de homicídio - um aumento de 17,5%, em relação a 2015.

Assim como as vítimas civis, a maioria dos policiais vitimados também é de homens (98,2%), negros (56%) e têm entre 40 a 49 anos (32,7%).

 

 

 

18/09/2018

Moradores de Taboão criticam falta de viaturas da Polícia Militar nas ruas

Moradores de vários bairros de Taboão da Serra estão reclamando, e muito, da falta de...

18/09/2018

Morador do Jardim Record, em Taboão, está desaparecido há uma semana

O morador do Jardim Record Walter Moura Guimarães, de 50 anos, está desaparecido há uma semana....

18/09/2018

Três assaltantes são presos em Embu após roubo de guincho na BR-116

A Polícia Militar deteve, na madrugada de segunda-feira, dia 17, três homens que roubaram um...

17/09/2018

Adolescentes de Taboão que estavam desaparecidas foram encontradas no Pirajuçara

As estudantes Ketlyn Thawani Freitas e Fernanda Caroline Santana, ambas de 14 anos, que estavam...

16/09/2018

Indignados, moradores de Taboão relatam série de crimes na cidade

Moradores de Taboão da Serra estão indignados com a série de arrastões que vem acontecendo na...

14/09/2018

Carro em chamas quase atinge casa de moradora no Santo Antônio, em Embu

Um carro em chamas quase atingiu a casa de uma moradora no Jardim Santo Antônio, em Embu das...

14/09/2018

Para não ser roubado, morador de Embu teve que correr de assaltantes

Um morador do Jardim Estela, em Embu das Artes, teve que correr na manhã desta sexta-feira, dia...

14/09/2018

Bolivianos com drogas no estômago estão internados no HGIS após serem presos

Quatro Bolivianos presos com capsulas de cocaína no estômago estão internados no Hospital Geral...

13/09/2018

Moradora do Caputera está desaparecida e família pede ajuda para encontrá-la

Atualização às 15h

A estudante Hellen Stefania Pereira Soares, de 17 anos, que...

13/09/2018

Adolescentes do Jardim Irapuã, em Taboão, estão desaparecidas há mais de 24h

As estudantes Ketlyn Thawani Freitas e Fernanda Caroline Santana, ambas de 14 anos, estão...

18/09/2018

Moradores de Taboão criticam falta de viaturas da Polícia Militar nas ruas

Moradores de vários bairros de Taboão da Serra estão reclamando, e muito, da falta de...

18/09/2018

Morador do Jardim Record, em Taboão, está desaparecido há uma semana

O morador do Jardim Record Walter Moura Guimarães, de 50 anos, está desaparecido há uma semana....

18/09/2018

Gêmeas do karatê se destacam na 8ª Copa São Paulo em São Bernardo do Campo

As gêmeas do karatê, como são conhecidas as irmãs Gabrielle Andrade Henrique e Yasmin Andrade...

ingle

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.