Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Saúde

A mistura desastrosa do álcool com a 3ª idade

Por Outro autor | 5/10/2017

idade

Divulgação O alcoolismo na terceira idade, segundo a Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (Abead), não cost

São histórias divididas entre amigos e familiares, mas que, curiosamente (e infelizmente), não tomam a proporção correta a ponto de serem levadas a um médico. O alcoolismo na terceira idade, segundo a Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (Abead), não costuma ser diagnosticado nessa faixa etária porque os sintomas, muitas vezes, são atribuídos a outras doenças crônicas ou ao próprio envelhecimento. Um grande erro.

O abuso do álcool, no entanto, é tão pouco reconhecido quanto é comum. Uma estatística levantada por pesquisadores norte-americanos de diversas universidades concluiu que, observando o universo das pessoas alcoólatras, um terço delas só se tornou de fato um viciado na terceira idade.

Segundo a médica e pesquisadora Sally K. Rigler, da Universidade do Kansas, Estados Unidos, “um dos grandes problemas nesse tema é que as definições comuns do alcoolismo não costumam ser aplicadas aos mais velhos – pessoas que são vistas como membros ‘fora da sociedade’, que têm muito menos interações sociais e, portanto, não têm de fato um problema com álcool”.

Mas esse é justamente parte do problema. A solidão, frustrações ao longo da vida e questões não compartilhadas com outras pessoas são algumas das principais causas que levam o idoso a buscar o álcool.

“Os idosos tendem a sofrer de problemas emocionais, sociais e de saúde como a viuvez, solidão, perda de amigos, aposentadoria, isolamento social, dores crônicas e diversos outros quadros”, explica Arthur Guerra de Andrade, psiquiatra, especialista em dependência química e coordenador do Núcleo de Álcool e Drogas do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Ele explica que, em situações como essas, o uso de álcool afeta ambos os gêneros e, apesar de ser mais frequente entre os homens, isso tem aumentado entre as mulheres.

“Uma pesquisa nacional demostrou que 12% dos entrevistados com mais de 60 anos foram classificados como bebedores pesados [mais de 7 doses/semana], 10,4% como bebedores pesados episódicos [mais de 3 doses em uma única ocasião] e 3% foram diagnosticados como dependentes”, diz.

Andrade conta ainda que, com o avançar da idade, podem ocorrer mudanças fisiológicas no organismo, aumentando sensibilidade ao álcool. Ou seja: “com a mesma quantidade de álcool, o idoso atinge uma alcoolemia maior do que nos jovens”, diz o médico.

Isso porque com o envelhecimento pode modificar a capacidade de metabolização hepática, da função renal e ter a maior tendência a desidratação.

A questão fica ainda mais grave quando se pensa que o abuso de álcool pode influir fortemente na ação de outros medicamentos dos quais o indivíduo faça uso por causa da idade. O efeito de bebidas alcoólicas pode ser potencializado por outras drogas – e essas interações precisam ser conhecidas e monitoradas por um profissional da saúde.

Porém, essa também não é uma tarefa simples. Ao cuidar de pacientes idosos, geriatras e outros especialistas têm uma grande dificuldade para lidar com o comportamento dessas pessoas e seus familiares.

Quando abusam do álcool e não conseguem controlar suas ações, a maioria dos idosos se sente julgado e mesmo envergonhado; daí os tratamentos, quando a situação é identificada, precisarem de um atendimento individualizado, mas que envolva as pessoas que convivem com o paciente.

Uma abordagem mais flexível e multidisciplinar, que tenha presença mesmo um psicólogo, costuma ser a mais eficiente. Isso facilita a retirada do estigma extremamente negativo da condição e abre caminhos para a melhora do quadro. Infelizmente, uma barreira existe também nesse caso: a questão financeira faz com que muitos idosos evitem abraçar um tratamento completo.

Buscar ajuda e controlar o alcoolismo, no entanto, é ainda mais essencial conforme a idade avança. Especialistas concordam que beber, no caso dos idosos, pode levar a quedas, problemas de coordenação motora ou julgamento e reação a situações. “Ingerir álcool excessivamente agrava diabetes, hipertensão arterial, insuficiência cardíaca, problemas hepáticos, osteoporose, problemas de memória e distúrbios do humor”, finaliza o Andrade.

O alcoolismo entre os idosos pode causar ainda acidentes como os de carro – e existem dados da Organização Mundial da Saúde que ligam o álcool na terceira idade a 30% dos casos de suicídio, 50% dos afogamentos e 50% dos homicídios. Um quadro, portanto, que precisa ser levado sempre em conta, em qualquer idade.

16/01/2018

Registros de mortes por febre amarela aumentam cinco vezes em uma semana

Desde julho de 2017 já foram registradas 20 mortes por febre amarela no Brasil. A informação foi...

15/01/2018

Obesidade cresce entre usuários de planos de saúde, diz pesquisa

Uma pesquisa com 53 mil usuários de planos de saúde de todo o Brasil aponta aumento da obesidade...

15/01/2018

Morador de Taboão que estava internado na Bahia com febre amarela morreu

O morador do jardim Record, em Taboão da Serra, que estava internado com febre amarela na Bahia...

15/01/2018

Itapecerica realizou vacinação em massa, mais de 10 mil pessoas foram imunizadas

Dando continuidade a Campanha de Prevenção contra a Febre Amarela, a Autarquia de Saúde realizou...

12/01/2018

Morador de Taboão que passava férias na Bahia está internado com Febre Amarela

Um morador de Taboão da Serra foi internado na cidade de Itaberaba, na Bahia, com febre amarela....

12/01/2018

Prefeitura de Itapecerica reforça campanha de vacinação contra febre amarela

Após a primeira campanha de vacinação contra a febre amarela de 2017, com a imunização de mais...

08/01/2018

Macacos são encontrados mortos em Itapecerica e aumentam suspeita de mosquitos

Em um pouco mais de um mês mais três macacos foram encontrados mortos em Itapecerica da Serra....

08/01/2018

Prefeitura de Itapecerica da Serra fecha Parque da Represinha

A Prefeitura de Itapecerica da Serra decidiu fechar temporariamente para visitação o Parque da...

05/01/2018

Quase 50 mil moradores de Itapecerica já se vacinaram contra a febre amarela

Quase 50 mil pessoas já se vacinaram contra a febre amarela durante a campanha contra a doença...

03/01/2018

Atualização da Classificação de Doenças terá transtornos por jogos eletrônicos

Depois de 28 anos, a Organização Mundial de Saúde (OMS) vai atualizar a Classificação...

17/01/2018

Secretario de transporte de Taboão implementa Movimento de Segurança do Trânsito

O secretário de transportes de Taboão da Serra, Gerson Pereira Brito, se reuniu na manhã de...

17/01/2018

Embu realiza Campeonato de Churrasco e Feira Gastronômica na cidade

A cidade de Embu das Artes realizará, entre os dias 20 e 21 de janeiro, das 11h às 20h, um...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.