Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Polícia

Bandidos mortos em tiroteio no Morumbi eram de Taboão e do Capão Redondo

Por Da Redação do Jornal na Net | 4/09/2017

crimes

Divulgação - Polícia Civil Segundo testemunhas, o tiroteio durou cerca de 5 minutos e não deixou nenhum suspeito vivo. Do lado dos policiais, quatro foram feridos com estilhaços

 

Parte dos  10 criminosos mortos no Morumbi, na noite deste domingo, 4, em um tiroteio com a Polícia Civil, quando os bandidos tentavam assaltar uma casa no bairro morava em Taboão da Serra. Segundo testemunhas, o tiroteio durou cerca de 5 minutos e não deixou nenhum suspeito vivo. Do lado dos policiais, quatro foram feridos com estilhaços. Todos fazem parte do Departamento de Investigações Criminais (Deic).

De acordo com informações da Polícia Civil, os bandidos integravam uma quadrilha especializada em roubos a residência de luxo e vinham sendo monitorados. Eles já teriam promovido ao menos 20 assaltos em São Paulo com uso de armamento pesado.

Os dez assaltantes mortos no tiroteio já foram identificados. Eles eram moradores da região do Capão Redondo e de Taboão da Serra. Eles seriam do jardim Leme, Panorama e Salete. Os nomes deles ainda não foram divulgados pela polícia. 

Na noite do confronto, eles tentavam roubar uma mansão onde estavam um casal e uma filha. Os bandidos vestiam coletes à prova de bala e foram surpreendidos por viaturas do Deic antes de entrar na residência. Nesse momento, cinco assaltantes foram mortos. Em seguida, iniciou-se uma perseguição que resultou no óbito dos demais.

Segundo informações preliminares, o confronto ocorreu no meio da Rua Pirapó, deixando moradores assustados. No final da noite, os corpos dos criminosos foram postos por policiais lado a lado no meio da rua, atraindo a atenção de curiosos.

Os criminosos estavam em dois carros, um Fiat Toro vermelho e uma Hyundai Santa Fé prata, que acabou colidindo em poste. Os assaltantes estavam armados com quatro fuzis, segundo o relato dos investigadores. O tiroteio foi tão intenso que os policiais pediram reforço do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra), grupo de elite da Polícia Civil.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.