Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cotidiano

Taboão comemora 11 anos da Lei Maria da Penha com evento no Cemur

Por Luciana Santos | 6/08/2017

maria

Divulgação

Taboão da Serra comemora os 11 anos da Lei Maria da Penha com evento no Cemur, a partir das 8h30 desta segunda-feira. Uma das palestrantes do evento será a juíza juíza Tatiane Moreira Lima, que foi ameaçada por um réu durante o julgamento de um caso de violência doméstica no Fórum do Butantã.

A lei Maria da Penha é um marco no enfrentamento da violência doméstica contra as mulheres vítimas de seus companheiros no Brasil. Por ano cerca de 12 mil mulheres sofrem agressões, o Brasil ocupa a 5º colocação em feminicídio. No Brasil a cada uma hora e meia uma mulher é estuprada.

Segundo a Coordenadora dos Direitos da Mulher de Taboão, Sueli Amoedo, os índices de morte desde a criação da lei Maria da Penha diminuiu em 10%, mas em compensação cresceu o número de agressão contra as mulheres negras.

Os dados sobre o tema serão apresentados na atividade comemorativa pelos 11 anos de criação da Lei, palestras serão realizadas para mostrar a importância da lei no enfrentamento à violência.

A Coordenadora dos Direitos da Mulher de Taboão explicou que durante o evento serão apresentados balanço das políticas públicas para as mulheres. Ela lembra que o município já realiza palestras, trabalhos de conscientização e cita como legislações de destaque o projeto Tempo de Despertar, a Notificação de Violência, o que permite as mulheres usuárias do transporte público pararem perto de casa depois das 22 horas.

Sueli Amoedo comemorou a criação da ronda Guardiã Maria da Penha, que vai auxiliar no combate à violência contra a mulher e coibir o descumprimento das medidas de proteção.

“Essa parceria com o município é muito importante, porque temos que buscar mecanismos para enfrentar a violência contra a mulher. A Guardiã vem em favor da Lei, vamos combater essa violência de forma institucional, vamos ajudar a Lei Maria da Penha a combater a violência contra a mulher”, ressaltou Sueli.

A Lei Maria da Penha foi criada em 7 de agosto de 2006 e ficou conhecida como a Lei nº 11.340/2006, recebeu esse nome em homenagem à cearense Maria da Penha Maia Fernandes. Maria da Penha teve um relacionamento abusivo e durante seis anos foi agredida pelo seu companheiro.

Em 1983, ele tentou assassiná-la duas vezes: Na primeira com um tiro, quando ela ficou paraplégica; e na segunda, por eletrocussão e afogamento. Após as agressões ela lutou por seus direitos, luta que durou longos 19 anos e meio até que o país tivesse uma lei que protegesse as mulheres contra as agressões domésticas.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.