Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

Embu mantém alta do ICMS, dívida de R$70 milhões para 2017 e R$ 170 milhões a longo prazo; diz secretário

Por Sandra Pereira | 4/06/2017

jose

Sandra PereiraSecretário explicou evolução da receita do ICMS falou sobre a dívida da  cidade e esclareceu montante a ser pago em 2017 e a longo prazo

A cada mês Embu das Artes consolida sua posição como município que mais arrecada ICMS na região. Taboão da Serra, que era a 1ª no ranking até poucos anos, caiu para 2ª colocação, enquanto Itapecerica se mantém distante na 3ª posição, que antes disputava com Embu. De acordo com o secretário de Finanças de Embu, José Roberto, em 2017 a cidade das artes tem previsão de receita de R$ 524 milhões e dívida de R$ 70 milhões. A cidade acumula outros R$ 170 milhões em dívidas com parcelamento de INSS, Embuprev e financiamentos. Esses R$ 170 milhões devem ser pagos ao longo dos próximos 20 anos.

“Nós temos dívidas a curto prazo de R$ 70 milhões com obras e fornecedores e outras dívidas em torno de R$ 170 milhões para serem pagos ao longo dos próximos anos. A folha de pagamentos dos servidores está em dia, mas estamos em débito com alguns fornecedores”, explicou José Roberto.

O secretário José Roberto recebeu o Jornal na Net na última semana e falou com exclusividade sobre a arrecadação e as dívidas do município. Segundo ele, atualmente, Embu recebe 0,5% do bolo de ICMS que o estado de São Paulo encaminha para as cidades. Taboão recebe pouco mais de 0,4% e Itapecerica fica com apenas 0,2% do total repassado.

“Em 2001, nosso índice de arrecadação do ICMS era em torno de 0,2%. Na administração do prefeito Chico Brito, com a chegada do Rodoanel, que trouxe um grande incentivo para as empresas de logística, conseguimos garantir a vinda de grandes empresas para a cidade como Adidas, BR Foods, Porche, Droga Raia, entre outras. Tudo isso melhorou o nosso índice de participação do ICMS. Superamos Itapecerica, Embu e agora a nossa meta é superar Cotia”, afirmou o secretário, antes de acrescentar que é a arrecadação do ICMS que está mantendo os investimentos na cidade em pé.

Apesar de liderar a arrecadação do ICMS, Embu das Artes fica atrás de Taboão da Serra quando se trata das demais receitas que compõe as principais fontes de arrecadação entre as quais se destacam o IPVA, IPTU, ISS e o ITBI.
Historicamente o IPTU é a segunda ou a terceira maior receita das cidades. Taboão arrecadou em 2015 R$ 48.698, enquanto no Embu o valor recolhido com IPTU foi R$ 29.596. Já de ISS Taboão recebeu em 2015 R$ 62.577 e Embu ficou com apenas R$ 24.410.

O secretário José Roberto é um dos mais experientes profissionais da secretaria de Finanças. Durante 4 anos ele foi secretário de Finanças do ex-prefeito Geraldo Puccini.Permaneceu no comando da pasta durante os 8 anos da administração de Geraldo Cruz, no governo do ex-prefeito Chico Brito e se manteve no cargo na gestão de Ney Santos.

 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.