Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

Vereadores discutem segurança de prédios após morte do menino que caiu do 19º andar

Por Sandra Pereira | 1/06/2017

cido

Thiago WalterCido levantou discussão afirmando que é preciso garantir que novas tragédias ocorram

A morte trágica do menino de apenas 4 anos, que morreu depois de cair do 19º andar de um prédio em Taboão da Serra, na última semana provocou uma ampla discussão na sessão da Câmara da terça, 30. Foi o vereador José Aparecido Alves, o Cido, quem provocou a discussão na Casa a respeito da necessidade de garantir a instalação de redes de proteção em todos os apartamentos do município.

“Temos que discutir essa questão da segurança das crianças da nossa cidade com urgência e impedir que outras tragédias como essa que tirou a vida do pequeno Jonas volte a se repetir”, disse Cido.

A proposta levantada pelo vereador Cido foi bastante discutida entre os demais. Todos os vereadores se solidarizaram com a família do menino e demonstraram pesar diante da tragédia.

“A morte dessa criança foi uma tragédia imensa que deve ser evitada a todo custo”, observou a vereadora Priscila Sampaio.

Para os vereadores é preciso garantir que mais nenhuma criança de Taboão morra em decorrência da queda de apartamentos ou da ausência de redes de proteção. Uma das medidas que eles pretendem estudar para evitar que isso ocorra é garantir que as construtoras que atuam na cidade só possam entregar os apartamentos com as telas de proteção instaladas.

Há pouco mais de um ano, outro menino, de apenas 5 anos, morreu depois de cair da cobertura de um apartamento pela janela do banheiro.

Os dois casos trágicos chocaram a cidade tem em comum o fato de que os dois meninos estavam sozinhos dentro dos apartamentos quando pularam em direção à morte. Ambos reforçam a necessidade de lembrar que as crianças nunca podem ser deixadas sozinhas, mesmo que por breve instante.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.