Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

416ª Zona Eleitoral pede ajuda da Câmara para incentivar eleitores a cadastrar biometria

Por Assessoria de Imprensa da Câmara de Taboão | 13/04/2017

biometria1

DivulgaçãoPresidente da Câmara, Joice Silva, recebeu funcionários da 416ª Zona Eleitoral em seu gabinete para discutir biometria

Para evitar as longas filas que se formam no período que antecede as eleições, e, ao mesmo tempo garantir conforto, agilidade e segurança aos eleitores a 416ª Zona Eleitoral de Taboão da Serra, localizada no Parque Pinheiros, está implementando ações para incentivar os eleitores a realizar o cadastramento biométrico. Essa semana funcionários da zona eleitoral se reuniram com a presidente da Câmara Municipal, vereadora Joice Silva, e pediram apoio na divulgação das campanhas de cadastramento biométrico.

Até o dia 11 de abril pouco mais de 15 mil eleitores inscritos na 416ª Zona Eleitoral haviam feito a biometria, restando mais de 94 mil pessoas para realizar o procedimento. A biometria ainda não será obrigatória em Taboão nas eleições de 2018, mas, os funcionários da 416ª querem intensificar ações para incentivar o cadastramento biométrico.

De acordo com Luana Naomi Ueki, o cadastramento biométrico é feito mediante agendamento pelo site do TSE. Ela afirma que como estamos fora do calendário eleitoral o período é ideal para os eleitores agilizarem o procedimento.

“O atendimento é agendado porque em alguns casos o cadastro da biometria demora em média 15 minutos. Para nós é muito importante que os eleitores venham antes para evitar a correria dos últimos dias de quitação eleitoral”, afirma, acrescentando que quem ficou sem votar nas últimas três eleições deve procurar a Justiça Eleitoral, fazer o cadastro e pagar multa e ficar apto a votação na próxima. “Quem não comparecer ao cartório eleitoral e ficou sem votar nas três últimas eleições terá o título suspenso”, alerta.

Além de procurar a Câmara Municipal para pedir ajuda dos vereadores na divulgação da campanha permanente de cadastro biométrico os funcionários da zona eleitoral 416º devem fixar cartazes em escolas, postos de saúde e outros locais públicos para avisar os eleitores sobre o procedimento e evitar as traumáticas filas que ocorrem na reta final do calendário eleitoral.
O TSE faz o cadastramento biométrico gradativo em todo o país e tem a meta de concluir a identificação de todos os eleitores até 2022. Atualmente, 50,4 milhões de cidadãos já são identificados pela biometria, o que corresponde a 34,4% do total do eleitorado.

Até 2018, de acordo com o planejamento da Justiça Eleitoral, mais 1.256 cidades terão cadastrado seus eleitores. São Paulo, que concentra o maior eleitorado brasileiro, fará revisão em 79 municípios nesta etapa.

Histórico

Desde as Eleições Municipais de 2000, todos os brasileiros escolhem os seus representantes utilizando a urna eletrônica. No entanto, naquela época, verificou-se que em um procedimento eleitoral ainda havia a intervenção humana: na identificação do eleitor. Isso porque nesse momento o mesário recebe os documentos do votante, verifica os seus dados, digita o número na urna eletrônica e, se o título fizer parte daquela seção e o eleitor não tiver votado ainda, libera a urna para que o cidadão vote.

 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.