Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

Candidatos a prefeito de Taboão opinam sobre o impeachment de Dilma Rousseff

Por Eduardo Toledo - Especial para o Jornal na Net | 21/09/2016

candidatos

Jornal na NetReportagem conversou com candidatos a prefeito e ouviu suas opiniões sobre o processo de cassação 

O impeachment de Dilma Rousseff no último dia 31 provocou a manifestação política dos candidatos a prefeito de Taboão da Serra. Dos seis candidatos, três foram a favor (Fernando Fernandes, Evilásio Farias e Vitor Medeiros), outros dois disseram ser contrários ao impeachment (Aprígio e Stan) e Buscarini se limitou a dizer que o impeachment “foi uma questão política”, não se posicionando claramente se é contra ou a favor da cassação.
Nossa reportagem conversou com os seis postulantes ao cargo de prefeito e ouviu suas opiniões sobre o processo de cassação e se eles acreditam que a conjuntura política e econômica do país melhore após o impeachment.  A seguir, as razões de cada candidato a prefeitura de Taboão da Serra:

Fernando Fernandes

O prefeito Fernando Fernandes, do PSDB, adversário histórico do PT, disse ser favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. Fernandes lembrou que em Taboão da Serra o PT está apoiando a campanha de Aprígio, que segundo ele, esconde o apoio do partido a sua candidatura. “O Aprígio precisa mostrar que está com o PT. Até agora ele não fez isso”, disse.
Fernando Fernandes avalia que não houve golpe, como dizem os partidários de Dilma, e afirma que quem afastou a presidente do poder foi a população brasileira. O prefeito contou que não é favorável que haja nova eleição.  “Vou torcer para o governo Temer dar certo. Agora se não der ele vai sair pelo voto daqui há dois anos.  A gente tem que lembrar que quem caçou a Dilma não foram os políticos, foi o povo brasileiro. O movimento que houve no Brasil pedindo a saída dela foi que provocou o impeachment. Não existe um golpe presidido pelo presidente do STF. Isso é conversa pra boi dormir”, declarou.

Aprígio

O candidato do PSD, Aprígio, se posicionou contra o impeachment, apesar do seu partido ter votado favorável por unanimidade a cassação de Dilma Rousseff no congresso. “O problema é político, sabemos disso. Para sair a Dilma, defendo que saia toda a chapa, inclusive o vice, que usou o mesmo dinheiro, as mesmas pessoas para se eleger, então eu imagino que é um golpe.
Aprígio que tem o PT no seu arco de aliança na candidatura a prefeito, disse que após o impeachment efetivado, o país precisa discutir sobre uma nova eleição direta. “Sou a favor de novas eleições, aí seria um processo democrático, seria uma coisa honesta. Mas fazer o que eles fizeram não sou a favor. Novas eleições seria ótimo. E o país sair da crise muito rápido eu não acredito”.

Evilásio Farias

Apesar de nos dois mandatos que foi prefeito ter tido uma forte aliança com o PT, inclusive tendo sua vice, Márcia Regina, filiada no partido, Evilásio disse que segue a posição do seu partido, o PSB: “Eu costumo ser leal ao partido. O nosso partido na Câmara dos Deputados votou pelo impeachment. E eu sempre votei em consonância com os desígnios e decisões do partido”. 

Evilásio, que foi deputado federal por dois mandatos, ainda defende novas eleições: “acho que tem que preconizar o que está na constituição. Queriam para outubro eleições conjuntas, mas é impossível. O vice é o sucessor automático do titular em caso de morte ou qualquer outra situação. Já aconteceu isso antes quando o Fernando Collor foi cassado [em 1992]. Infelizmente ou não, a Dilma foi cassada e o vice é o Michel Temer constitucionalmente, garantido no cargo”.

José Vicente Buscarini

Buscarini, do PV, partido que votou a favor do impeachment, disse que a cassação foi uma questão política. “Eu não creio que a presidente tenha cometido qualquer crime de responsabilidade. Até porque, não é ela que faz. Como prefeito, governador, tem um grupo de especialistas, de jurídico, eu acredito que foi político. Porém, temos que respeitar”. 

Buscarini ainda disse que é preciso ter calma com as expectativas: “O impeachment foi feito e acredito que todos tiveram o direito de defesa, o congresso entendeu que deveria ser aprovado o impeachment, agora vamos olhar para frente e aguardar o atual presidente [Michel Temer] ver se tem capacidade de governar esse país. O empresário e o povo quer paz e não guerra. Nós demoramos um ano quase para ficar nesse imbróglio total de ‘tira e coloca’. Outros terão que ser cassados até por [crime de] responsabilidade”.

Stan

O candidato a prefeito do PSOL, Stan Szermeta, disse que segue a orientação nacional do partido de ser contra o impeachment. Para ele o processo é uma farsa, um golpe, que vai resultar na retirada de direitos históricos da população. Para Stan o impeachment é uma armadilha das elites brasileiras contra os trabalhadores. Ele disse ser contra o ajuste fiscal feito pela presidente e disse que o programa de governo dela não atendia aos interesses sociais do país. 

“Eles, defensores do impeachment  criaram uma instabilidade jurídica. A crise está instalada. Ela não é uma fabricação do governo brasileiro, está instalada no mundo. O modelo neoliberal está trincado no mundo. Esse golpe foi orquestrado para retirar direitos brasileiros. Estão vendendo o Brasil, quebrando os direitos e entregando ao capital estrangeiro”, avaliou. 

Stan defende a realização imediata de novas eleições e greve geral contra o governo “golpista”, que segundo ele vai atacar a previdência, promover a terceirização e acabar com direitos sociais.

Vitor Medeiros

O candidato do PSL, Vitor Medeiros, declarou que foi favorável ao impeachment da presidente. “ Eu fui a favor do impeachment da Dilma, ela não foi condenada apenas por essa primeira acusação [pedaladas fiscais], existem outras acusações que já davam o impeachment pra ela, não anexaram ao processo porque teria que começar tudo de novo e o Brasil ia continuar sofrendo sem uma liderança fixa. Não tenho dúvida nenhuma, a Dilma errou e o impeachment é para quem erra. Essa é a realidade”. 

 Medeiros ainda disse que Temer pode trazer uma segurança econômica e política para o Brasil. “ Não tenho dúvida nenhuma que o presidente pode fazer muito para o nosso país. Sinto que ele sabe o que fala, acredito que teremos novidades positivas. Já estamos tendo, se você olhar bem o Brasil já está crescendo. Já começou a vender mais veículos e imóveis. Então quando sai  imóveis e vende veículos, é porque a construção está em alta. A construção é o pulmão do Brasil, onde há obra, há economia positiva, fonte de renda e é isso que estou analisando e enxergando para concluir que está dando certo”. 

Medeiros se posicionou contra novas eleições: “Não sou a favor de novas eleições. Temos que dar uma oportunidade para ele [Michel Temer], ele tem uma equipe positiva, temos que dar essa oportunidade para ele mostrar o trabalho dele. São só dois anos, ele merece esta oportunidade”.

15/07/2018

Vereadores visitam Sercom e conhecem programa de Inteligência Artificial

O vereador Dr. Ronaldo Onishi e as vereadoras Érica Franquini e Priscila Sampaio visitaram...

15/07/2018

Vereadores levaram doação de agasalhos arrecadados na Câmara ao Centro POP

A Câmara Municipal de Taboão da Serra aderiu à campanha do agasalho e arrecadou mais de 400...

10/07/2018

Joice Silva diz que festas juninas fortalecem relação dos alunos

Após prestigiar as festas juninas das escolas municipais de Taboão da Serra e ver de perto a...

07/07/2018

Câmara Municipal entra em recesso; atendimento ao público continua normalmente

Durante o mês de julho a Câmara Municipal de Taboão da Serra permanece em recesso parlamentar. O...

07/07/2018

Câmara Municipal entrega título de Cidadão Taboanense para Padre Carlos

No último domingo, dia 1º, a Câmara Municipal de Taboão da Serra entregou, após a missa na...

03/07/2018

Ney Santos lança pré-candidaturas de Ely Santos e Hugo Prado em Embu das Artes

Embalado por sua popularidade na cidade, o prefeito de Embu das Artes, Ney Santos, promoveu uma...

03/07/2018

Projeto de Lei que garante 30 horas para enfermagem está em regime de urgência

Como vice-presidente da Assembleia, a deputada estadual Analice Fernandes deu entrada em um...

01/07/2018

Joice Silva e Johnatan Noventa aprovam lei para evitar abandono recém-nascidos

Para proteger a vida dos recém-nascidos cujas mães não vão conseguir cuidar, e, acabam mortos...

01/07/2018

Câmara Municipal de Taboão da Serra aprova 10 projetos antes do recesso

Em uma das mais longas sessões da atual legislatura, os vereadores da Câmara Municipal de Taboão...

29/06/2018

TSE divulga limite de gastos para as eleições 2018

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou o limite de gastos das campanhas eleitorais deste...

17/07/2018

Governo antecipa primeira parcela do 13º de aposentados e pensionistas

Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) receberão a primeira...

17/07/2018

Em um ano, EMTU cancela três linhas em Embu e Itapecerica da Serra

Entre Janeiro de 2017 e Maio de 2018, a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos),...

17/07/2018

Brinquedo de infância levará Itapecerica da Serra ao livro dos Recordes

Para chegar ao GUINNESS WORLD RECORDS um grupo de amigos de Itapecerica da Serra, freqüentadores...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.