Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

Eleitores e apoiadores “fazem fila” para visitar o vereador Cido da Yafarma, após cirurgia

Por Sandra Pereira | 26/06/2016

cido_1

Divulgação - FacebookPresidente da Câmara de Taboão recebe visitas diárias de eleitores e apoiadores desde que operou  tornozelo

No melhor estilo do ditado “se Maomé não vai a montanha a montanha vai a Maomé”, o presidente da Câmara Municipal de Taboão da Serra, José Aparecido Alves, o Cido, anda inovando o jeito de fazer política desde que quebrou o tornozelo e precisou passar por uma cirurgia. 

Impossibilitado de andar e cumprindo ordens médicas para repousar Cido teve que deixar de lado a agenda de reuniões e visitas de pré-campanha. Foi ai que os eleitores e apoiadores dele começaram a se revezar em visitas constantes à casa dele. 

“Não estou conseguindo atender todas as pessoas que vão lá casa. Tem fila de gente querendo me visitar”, conta o presidente com o seu ar pitoresco característico. 

Quem acompanha o presidente da Câmara de Taboão nas redes sociais está se habituando a ver as fotos postadas por ele das visitas que recebe em sua casa. Os mais atentos se impressionam com a quantidade de pessoas que o visitam e demonstram simpatia com sua pré-campanha.  

No meio político as avaliações iniciais indicavam que o tornozelo operado e o repouso de 90 dias poderia prejudicar o presidente. Entretanto, depois de ver o movimento intenso de pessoas que o procuravam já há quem espere um resultado oposto. 

Já faz quase um mês que Cido quebrou o tornozelo. Nos primeiros dias ele ficou afastado da Câmara. Na última semana ele participou de algumas atividades, voltou a presidir a sessão da Câmara e participou de uma assinatura de convênio e inauguração da UBS do Record. Animado ele relatou o carinho dos amigos e apoiadores do seu mandato.  

Cido fraturou o tornozelo durante uma partida de futebol no final de semana e teve que ser operado no Hospital Geral do Pirajussara (HGP).

“Eu torci o pé e fraturei o calcanhar. Tive que colocar uma plaquinha porque quebrou o maléolo. Estava jogando bola com amigos em Mairinque (interior de São Paulo). O médico pediu para eu esperar 45 dias para colocar o pé no chão”, relatou o presidente ao site Taboão em Foco depois da cirurgia.


Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.