Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Polícia

Presos pela operação Redenção de Itapecerica ainda estão detidos no DP da cidade

Por Sandra Pereira | 1/12/2015

DP1

Sandra PereiraPresos continuam na delegacia e advogados correm contra o tempo para conseguir habeas corpus

Todos os presos durante a operação Redenção, deflagrada pelo Ministério Público em Itapecerica da Serra na última sexta-feira, 27, por conta da investigação do desvio de R$ 2,5 milhões das contas da Câmara Municipal continuam detidos na Delegacia central da cidade. Advogados de defesa dos vereadores, ex-vereadores, funcionários e ex-funcionários da Câmara Municipal de Itapecerica tentam manter seus clientes presos no local até conseguir habeas corpus. Eles querem evitar a todo custo que os acusados sejam levados para presídio. A prisão deles alterou a rotina da delegacia que durante toda a segunda-feira, 30, recebeu diversos visitantes, advogados e familiares eram a maioria. 

As mulheres presas durante a operação já fizeram exame de corpo de delito, mas ainda não se sabe quando serão encaminhadas para o presídio. Os presos do sexo masculino ainda não foram levados para fazer exame de corpo delito. Sob a condição de anonimato, já que os processos tramitam em segredo de Justiça, alguns advogados disseram acreditam que conseguem habeas corpus antes que os presos sejam levados ao presídio. 

Ainda não se sabe por exemplo se os presos já tiveram a prisão preventiva decretada. Nem mesmo se existe a possibilidade de haver novas investigações sobre os desvios. O que se sabe é que a investigação do MP se deteve entre os anos de 2008 até 2013, quando um relatório do Tribunal de Contas apontou a disparidade nas contas da Câmara. A operação Redenção vem sendo chamada de Lava Jato Itapecericana.  

Os três vereadores presos podem sofrer uma dor de cabeça há mais, já que se as prisões perdurarem os seus suplentes podem ser convocados a assumir suas cadeiras. 

Uma coisa é certa: as informações preliminares mostram que os funcionários envolvidos operavam o dinheiro da Câmara como se fosse deles. Um dos motivos de algumas prisões seria a concessão de empréstimo feito com os recursos da Câmara a outros servidores. Também há relatos de adiantamento de salários.  

A operação Redenção deixou a classe política de Itapecerica  de joelhos. A prisão de vereadores ex-vereadores e funcionários da Câmara Municipal acusados pelo desvio de 2,5 milhões das contas da Câmara trará implicações políticas ainda imprevisíveis para o município. Ainda não se sabe o desfecho de tudo isso, mas é claro que o cenário eleitoral para2016 não poderia estar mais turbulento.  

Os 20 promotores da operação Redenção trabalharam junto com 200 policiais da Rota. Eles prenderam os vereadores Cícero Costa (PSDB),  Hércules da Farmácia (PMDB) e Cleber Bernardes (PMDB). O vereador Fabinho Gêmeos (PV) está foragido e o filho do vereador Cícero Costa, Rodrigo Costa, também foi preso.  Os ex-vereadores  José Maria Rosa, Tonho Paraíba e  Lombardi estão presos na Delegacia Central. A diretora geral da Câmara Sonia Valéria de Oliveira, assim como o ex-funcionários Jorge Issao Takada. Também estão presas mulheres identificadas como sendo Geisa, Valdirene, Delma, além do filho de Issao. 
As funcionárias Eduarda Rosana dos Anjos Silva e Fabiane Teles dos Santos confessaram participação nos desvios durante o ano de 2013, mas não foram detidas. Os depoimentos delas foram decisivos para a concretização das prisões. 

Atualização de informação 11h26 do dia 01 de dezembro

A equipe do Jornal na Net recebeu há pouco a informação de que a prisão preventiva dos acusados de participar da fraude já foi decretada.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.