Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

Vereador cobra promotor de Itapecerica sobre investigação do desvio de 2,4 milhões na Câmara

Por Sandra Pereira | 4/11/2015

sangue

Sandra PereiraVereador Sanguebom questiona "será que o promotor está tão ocupado?"

Faltando pouco mais de um mês para completar um ano da descoberta do desvio de R$ 2,4 milhões na Câmara Municipal de Itapecerica da Serra na gestão de 2013 o Ministério Público foi cobrado a dar uma resposta ao crime, que teria sido praticado por servidores do Legislativo Itapecericano. Os acusados eram funcionários dos departamentos de Recursos Humanos e Financeiro da Casa e estariam operando o esquema de desvio por conta própria. Eles chegaram a  isentar os vereadores de participação na fraude, mas o fato não minimizou o transtorno político ocasionado a atual legislatura. 

“Faz um ano do roubo da Câmara e até agora o promotor não fez nada. Se o cidadão roubar uma galinha vai preso. Agora aqui roubaram 2,4 milhões e o promotor não faz nada. Será que ele tem tanto trabalho assim”, disparou o vereador Edicarlos Sanguebom durante a sessão desta terça-feira, 3.

Para o vereador a lentidão do caso não tem justificativa já que os próprios acusados confessaram o crime. Sanguebom acredita que a única maneira de evitar que os vereadores continuem sendo cobrados pelo desvio é a elucidação do caso e a prisão dos envolvidos. 

Faz meses que boatos sobre a possibilidade de prisão dos acusados tomam conta de Itapecerica. Várias vezes ao longo do ano dezenas de moradores lotaram o plenário da Casa cobrando explicações, exigindo a devolução do dinheiro e a prisão dos envolvidos. Os protestos também acontecem nas redes sociais onde os moradores expressam sua revolta. Nos bastidores da política itapecericana os boatos sobre o caso são constantes e cada hora um novo fato movimenta o município. 

Na cidade todos se perguntam porque os servidores que confessaram o desvio não foram presos depois de terem assumido o crime. Além disso, todos cobram a devolução dos recursos. Também há os que criticam duramente o fato da mesa diretora antiga não ter visto os desvios. 

Oficialmente o desvio ocorrido em 2013 foi descoberto após apontamento do Tribunal de Contas. A investigação do desvio da Câmara de Itapecerica está sendo conduzida pela Delegacia do município. A polícia evita dar informações do caso para não prejudicar o andamento das investigações. Os vereadores se esforçam para colaborar numa tentativa clara de demonstrar que não têm ligação com o crime e distanciar seus nomes do desgaste político provocado pelo fato. Mas a repercussão do assunto torna esse processo difícil.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.