Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Educação

Manifestação contra a reorganização: Alunos tomam a BR 116 e Mercês diz que não haverá fechamentos

Por Amanda Marques | 22/10/2015

IMG_20151022_112420788

Amanda MarquesEm ato contra a proposta do governo, estudantes protestaram nas ruas de Taboão da Serra.

A concentração se iniciou na Praça Nicola Viviléchio às 10h00 da manhã, da última chuvosa quinta-feira e reuniu segundo a Polícia Militar, entre 500 e 600 pessoas. Sim, a manifestação das escolas estaduais de Taboão da Serra e Embu contra a reorganização do ensino tomou de novo a BR 116 e dessa vez, com maior público. Os estudantes não se intimidaram com o tempo fechado e foram às ruas para, indignados, lutarem contra as imposições do governo. 

Seguindo para a Diretoria de Ensino, os manifestantes caminharam pela Rodovia Régis Bittencourt e tomaram a rua paralela ao Hipermercado Extra com muito batuque e cantoria. Eles conseguiram chamar atenção da comunidade. A PM acompanhou os estudantes e fez isolamento das áreas para garantir a segurança. Em torno de 20 escolas participaram da manifestação, Catharina Comino, Alípio de Oliveira, Lúcia de Castro, João Martins, Odete Maria de Freitas e Nigro Gava foram algumas delas. 

Dois carros de som apararam a molecada, que em coro cantavam contra o fechamento de suas escolas e também em repúdio ao governador Geraldo Alckmin. Alunas da escola Catharina Comino, disseram que vão lutar até o fim para que a medida não seja implantada: “Se tiver que fazer manifestação todos os dias, nós vamos participar também! Temos que lutar por nossos direitos”, enfatizaram as garotas. 

Uma das mais evidentes reclamações dos alunos foi em relação à distância que eles terão de enfrentar nos novos trajetos. Segurança e adaptação no ambiente também foram apontadas como dificuldades iminentes.  

Membro da APEOESP e organizador da manifestação, Wiliam Felipe voltou a falar que o problema não é o fechamento das escolas, mas sim, o fechamento de salas de aula que resultará em superlotação. “O nosso objetivo é que o governo retire essa proposta, respeite a comunidade, os pais e os alunos”, declarou. 

Wiliam informou que a Diretoria de Ensino só atende a comunidade porque é pressionada para isso: “O que fica demonstrado aqui, é que os diretores não tem nenhuma autonomia para decidir nada. Eles são representantes do governo... Então na verdade, essa diretora aqui é um traço da Secretaria de Estado. O que deveria ser ao contrário, agente deveria ter uma democratização da diretoria de ensino”. 

O professor disse que o próximo passo é discutir com a comunidade, em especial com os pais para avaliar melhores resultados. No Embu, Wiliam disse que estão havendo ameaças em função da adesão às manifestações por parte de alunos e professores, o organizador enfatizou que é o ato é inadmissível. 

Os estudantes maciçamente questionaram sobre as diferenças de ensino, que variam de uma escola para outra, o que dificultaria a adaptação e o aprendizado. Mercês rebateu e mencionou que o plano de ensino é mesmo para todas as escolas. “O conteúdo dado na ‘escola A’ é o mesmo dado na ‘escola B’”, ressaltou, aproveitando para dizer que é falácia e folclore as pessoas acharem que os currículos mudam de escola para escola. 

A dirigente informou que as escolas Alípio, Antônio Inácio e Márcia Ries realizaram um abaixo assinado contra a reorganização e declarou que é totalmente a favor da proposta de dividir os ensinos fundamental e médio. Ela defendeu seu ponto de vista principalmente, porque acredita que os professores poderão dar aulas em uma mesma escola e se especializar em somente um segmento, contribuindo com o aperfeiçoamento no trabalho de determinada faixa etária. 

A resposta de Mercês

Durante reunião com a dirigente de ensino Maria das Mercês, o clima esquentou e as discussões entre os pais, alunos, professores e a dirigente foi tenso. Sem titubear, os estudantes e os organizadores nem se quer deixaram Mercês fazer a apresentação da proposta do governo. Eles queriam explicações objetivas sobre a reorganização do ensino. 

Ao total, trinta pessoas tiveram o acesso à sala de reunião, o que causou confusão e intervenção da Polícia Militar. Maria das Mercês explicou que não há propostas para serem apresentadas e que não era o devido momento. “O governador ainda não aceitou a proposta, ainda está discutindo”, desabafou a dirigente que nitidamente aparentava desgaste. O organizador Wiliam exigia em contrapartida, que no mínimo oitenta pessoas entrassem para a reunião e Maria de forma tênue, falou que não havia espaço físico para suportar todos. 

A palavra autoritarismo repercutiu. De um lado os estudantes afirmavam que o governo e por consequência Mercês, são autoritários na maneira que conduzem a situação. Do outro, a dirigente retrucou dizendo que as imposições vêm da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. O governador Alckmin também foi fortemente criticado. 

De acordo com Maria das Mercês: "O que eu tenho a declarar é o seguinte, nenhuma escola será disponibilizada nos municípios de Taboão da Serra e Embu das Artes! Eu acho que é uma questão de cidadania, eu sou sensível a isso. Eu acho que esta certíssima a comunidade se manifestar, a única coisa, é que eles estão manifestando no lugar errado. Eu não tenho o poder de decidir sobre a reorganização, nós fizemos um estudo à luz das diretrizes da Secretaria". 

12/12/2017

Enem para presos e segunda aplicação começam hoje

Cerca de 32 mil pessoas privadas de liberdade farão hoje (12) e amanhã (13) as provas do Exame...

10/12/2017

Deputada Analice leva Projeto Guri para Embu das Artes

Um grupo de 150 crianças e adolescentes estão frequentando aulas de iniciação musical e de...

08/12/2017

500 alunos se formam pela Escola Municipal de Gastronomia

A qualificação profissional é o melhor caminho, em um momento de crise econômica nacional, para...

06/12/2017

Etec de Taboão e Embu recebem inscrições para vestibulinho até o dia 13 dezembro

Os estudantes interessados em prestar o vestibulinho da Etec de Embu das Artes e Taboão da Serra...

06/12/2017

Vestibular Fatec: inscrições terminam na quinta-feira (7)

Quem quiser participar do processo seletivo das Faculdades de Tecnologia (Fatecs) do Estado de...

06/12/2017

Alunos conquistaram 400 medalhas em Olimpíada Brasileira

Os alunos das EMEFs Profª Ester Cordeiro de Souza, Machado de Assis, Profª Dalva Barbosa Lima...

05/12/2017

Governo promete conscientização contra bullying nas escolas de Taboão

Há quase um mês pelo menos 70 alunas da rede pública estadual de ensino de Taboão da Serra vivem...

04/12/2017

Programa Guri será inaugurado para oferecer educação musical em Embu das Artes

Na próxima quarta-feira (6/12), às 15h, acontece a inauguração do a...

12/12/2017

Enem para presos e segunda aplicação começam hoje

Cerca de 32 mil pessoas privadas de liberdade farão hoje (12) e amanhã (13) as provas do Exame...

12/12/2017

Prefeitura de Itapecerica da Serra abre vagas para frente de trabalho

A Prefeitura de Itapecerica da Serra abriu inscrições para a equipe da Frente de Trabalho 2018....

12/12/2017

Parentes de mortos em acidente da TAM fecham acordo de R$ 30 milhões com Airbus

Dez anos após o acidente que matou 199 pessoas, na queda do avião da TAM em São Paulo, parte dos...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.